Nas Bancas

Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça sugerem uma decoração diferente e reciclada

Os três amigos e sócios da empresa Antiek (na foto com a dona do restaurante que decoraram, Lina Pinheiro) explicam como é fácil recriar vários ambientes numa casa.

Andreia Guerreiro
23 de dezembro de 2009, 11:39

Criar espaços distintos, versáteis e originais, tendo sempre presente a reciclagem, foi o que Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça, amigos e sócios, idealizaram para decorar o restaurante Àparte, em Lisboa, recriando o espírito de Natal. Um trabalho que em nada parece fácil, mas que Nuno nos garantiu ter sido rápido e divertido: "As coisas podem parecer muito detalhadas, meticulosas, trabalhosas, mas é uma questão de conjugar e fazer um puzzle com aquilo que existe, usar a imaginação. E assim tudo flui tranquilamente. É como pôr uma mesa."

Proposta de decoração de Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça
Proposta de decoração de Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça
Clara Azevedo
A particularidade desta decoração é mudar todos os 15 dias, como nos explicou João Cabeça:
"Está em constante mutação, sempre com um tema novo, pelo que aproveitamos e colocamos também as peças que temos para venda, como se fosse uma montra. Algumas vezes, até trazemos alguns elementos das nossas próprias casas, para atingir o objectivo de fazer um ambiente de Natal diferente e ousado."
O objectivo é tornar cada recanto acolhedor e familiar.
"Em vez de fazermos aquela decoração típica do Natal, das bolinhas e das fitinhas, fizemos como se fosse a nossa casa, trazendo o espírito pessoal e de família para este espaço"
, explicou João Lourenço, que confessou ser bastante tradicional no espírito com que celebra a quadra:
"O que eu gosto mesmo de sentir nesta época é a lareira acesa e o calor humano da família. E como nós nos damos todos muito bem, há sempre um espírito fantástico. E a comida é óptima, as refeições são um momento de partilha, mas o importante é estarmos todos ali. As minhas memórias do Natal são muito boas e é um espírito que gosto de continuar a ter."


Proposta de decoração de Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça
Proposta de decoração de Nuno Prates, João Lourenço e João Cabeça
Clara Azevedo
Por seu lado, o que João Cabeça mais recorda da infância são as decorações, que mais tarde influenciaram a sua escolha profissional.
"Sou ribatejano e o Natal sempre foi lá passado. Lembro-me de ir sempre com o meu avô apanhar musgo, buscar o pinheiro ao campo, fazer o presépio... Todo o período das minhas férias escolares era para ir para lá e fazer a decoração para o grande dia"
, conta. Ainda hoje, João gosta de decorar a sua própria casa com elementos oferecidos pela Natureza e pelo ambiente que o rodeia:
"Acho que actualmente as pessoas se deixam levar muito pelo stresse que lhes é imposto, como a decoração das casas, as compras... Uma das defesas que utilizo é tentar preencher o meu Natal com coisas diferentes, nomeadamente na decoração, reciclando, indo à procura de coisas que usei nos anos anteriores e dar-lhes uma outra vida, e não sentir a pressão de ter de encontrar coisas novas."

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras