Nas Bancas

Helena Coelho em Milão: "Prescindi de algumas coisas para ser mãe aos vinte anos, mas são opções, e eu fiz a minha"

Em Itália, a modelo e apresentadora falou sobre a filha, de sete anos, mas não sobre o fim da relação com Carlos Canto Moniz.

Andreia Guerreiro
12 de novembro de 2009, 16:56

Numa altura em que a sua vida profissional está mais virada para a televisão (acabou de apresentar o programa Só Visto! e a rubrica Destinos.pt na RTP), Helena Coelho não deixa a moda completamente de lado e voltou a desfilar numa das principais capitais da moda europeia: Milão. A apresentadora e modelo viajou até Itália a convite da Triumph, desfilando no Museu La Triennale de Milano a criação da concorrente portuguesa do Triumph Inspiration Award. A CARAS aproveitou a oportunidade e levou Helena a passear pelas ruas da cidade italiana. Na entrevista, a apresentadora falou da filha, Mariana, de sete anos, mas recusou-se a comentar o final da relação com Carlos Canto Moniz.

- Com este evento da Triumph, voltou a desfilar em lingerie. É uma situação constrangedora?
Helena Coelho -
Não, de todo. Quando somos manequins, habituamo-nos a lidar bem com o nosso corpo, ou seja, a sentirmo-nos confortáveis com ele. Além disso, as pessoas não estão a olhar para o nosso corpo, mas para as peças. Não sinto que esteja a expor-me, mas a vender um produto.

Helena Coelho em produção para a CARAS
Helena Coelho em produção para a CARAS
Rodrigo Freixo
- Além disso, sei que adora lingerie...

-
É verdade, gosto bastante de
lingerie
, e tenho que dizer que este casamento com a Triumph tem sido muito feliz.


- Já que usa a expressão 'casamento feliz', vou aproveitar para confirmar se está de novo solteira...
-
Não vou responder a isso. Nunca quis falar sobre a minha vida privada e prefiro continuar a fazê-lo. Estou profissionalmente muito serena e é o máximo que posso dizer.


- E está igualmente serena a nível pessoal?
-
Não vou mesmo responder... [risos]


- E a sua filha, como tem sido o crescimento dela?
-
Acho que sou uma boa mãe, porque tento incutir à Mariana valores que lhe permitam fazer opções. Para já, em coisas pequenas, mas para a preparar para o futuro. Para que ela comece a sentir já alguma autonomia.


- Ela já está numa fase escolar algo exigente, o que também exige mais de si própria...
-
Ela está no terceiro ano, que dizem que é o mais importante. Eu tento acompanhar tudo, sendo uma mãe normal. Quando chego a casa, vejo os cadernos, tento ajudá-la...


- O facto de ter sido mãe tão cedo influenciou, ou continua a influenciar, de alguma forma, a sua carreira?
-
Quando fui mãe, aos 20 anos, estava a viver no Japão e tinha ainda uma série de outros mercados para fazer. Claro que prescindi de algumas coisas para ser mãe, mas são opções, e eu fiz a minha.


Helena Coelho em produção para a CARAS
Helena Coelho em produção para a CARAS
Rodrigo Freixo
- Agora com a vida profissionalmente mais calma, pensa acalmar também a nível pessoal e estabilizar mais com a sua filha, com uma família...
-
Sempre tive uma vida calma, o meu trabalho sempre foi o meu trabalho e sempre separei bem o lado profissional da vida familiar. E tenho, efectivamente, um lar e uma família. Se daqui a dez anos estiver assim, tanto melhor. Está tudo bem.


- Faz muitos planos?
-
Não faço grande futurologia nem grandes projectos para o futuro. Tento viver o dia-a-dia e faço alguns planos, mas a curto prazo, sem grandes preocupações. Para já, quero continuar os meus estudos, quero continuar a aprender e a usufruir daquilo que é a vida e daquilo que ela nos oferece.


- Já conhecia bem Milão?
-
Sim, já conhecia, mas desta vez li um pouco mais da história da cidade e fiquei a perceber melhor tudo aquilo que se vê, desde estátuas a monumentos.


- E uma das capitais da moda europeia...
-
Milão tem um mercado de moda muito violento, no sentido de intenso, e é completamente diferente de Portugal. Aqui, para se desfilar, é uma passarela muito corrida, em que não se pode parar. Depois, a imprensa e as pessoas presentes são também muito diferentes, mais do que em Portugal.


- Sente um prazer especial por desfilar aqui?
-
Devo confessar que a ModaLisboa tem uma organização fantástica e penso que está muito à frente de alguns desfiles que se fazem por aqui.


Helena Coelho em produção para a CARAS
Helena Coelho em produção para a CARAS
Rodrigo Freixo
- A língua pode ser uma barreira?
-
Como deriva do latim, não é muito difícil. De qualquer forma, quando não conseguimos manter uma conversação em italiano, recorremos ao castelhano ou ao inglês.


- Soube bem voltar ao mundo da moda, depois de se ter dedicado mais à televisão nos últimos tempos?
-
Sim, de facto, soube, pois a televisão é muito exigente, mas também se pode tornar mais compensadora. Ontem estive doze horas a trabalhar aqui em Milão, e nesse tempo o mais produtivo que tive foram três horas. Recordei-me que a moda tem este inconveniente, não se faz nada durante muito tempo. E eu sou uma pessoa muito activa, pelo que considero que a televisão tem muito mais consistência na medida em que proporciona mais interactividade.


- Por isso a moda está cada vez mais longe dos seus projectos...
-
Estou com 27 anos, pelo que é difícil fazer uma escolha totalmente direccionada para a moda quando esta exige que as modelos sejam cada vez mais novas. Ainda posso fazer as duas coisas e, se puder, faço ambas. Mas a televisão é um caso cada vez mais sério na minha vida. E à medida que os anos passam e vou ganhando experiência, vejo que faz mais sentido seguir esse caminho.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras