Nas Bancas

Jane Birkin tem fascínio pela cultura portuguesa e por... pastéis de Belém

"[Birkin] É uma mulher de causas, e essa é uma das razões por que gosto dela." (Inês de Medeiros)

Andreia Guerreiro
22 de outubro de 2009, 15:32

"A primeira vez que vim a Portugal foi com os meus pais, quando o meu primeiro marido me deixou. Depois, comecei a conhecer a cultura portuguesa e os pastéis de Belém e... fiquei fascinada", explicou, sorridente, Jane Birkin, que esteve em Portugal para se apresentar em concerto no Centro Cultural de Belém e para participar, enquanto realizadora, na 10.ª Festa do Cinema Francês, com o filme autobiográfico Boxes.

Birkin, que o mundo associa a Je T'Aime Moi Non Plus, tema que Serge Gainsbourg tinha composto para Brigitte Bardot mas que ela imortalizou, foi a convidada de honra, juntamente com a realizadora Agnès Jaoui, de uma recepção na Embaixada de França.

Na curta conversa que manteve com a CARAS, a actriz, cantora e realizadora nascida em Inglaterra, mas adoptada pelos franceses desde os anos 60, garantiu que os pastéis de Belém já estavam encomendados para viajar com ela no regresso a França.

Mãe de três filhas - a fotógrafa Kate Barry, a actriz e cantora Charlotte Gainsbourg e a acrtiz e modelo Lou Doillon -, Jane Birkin teve como primeiro marido o compositor da banda sonora original dos filmes de James Bond, John Barry, o tal que proporcionou a sua primeira vinda a Portugal. Desde essa altura, voltou algumas vezes, e hoje conhece bem o nosso país e o nosso público, sempre "muito generoso".

Aos 62 anos, Birkin mantém a figura esguia e o sorriso de menina que seduziram Gainsbourg, seu segundo marido e pai de Charlotte. "A minha filha ganhou um grande prémio em Cannes", fez questão de lembrar, orgulhosa do título de Melhor Actriz que Charlotte conquistou com o filme Anticristo, de Lars von Trier. Quanto a Lou, nascida em 1982, da relação da actriz com o realizador Jacques Doillon, aparece no filme que a mãe veio apresentar a Lisboa.

"É uma mulher de causas e essa é uma das razões por que gosto dela. E o mesmo se passa com a Agnès Jaoui", referiu-nos Inês de Medeiros, também ela uma mulher de causas, que agora a levaram a aceitar o desafio de ser deputada pelo PS. "Estou pronta, e quando me meto numa coisa, é para fazer de forma séria", frisou a actriz.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras