Nas Bancas

Adelaide de Sousa revela: "O que me faz mais falta é dormir sem interrupções"

Depois de um trabalho de parto complicado, em que tanto a actriz como o filho correram perigo de vida, Adelaide está a adaptar-se aos horários de Kyle, de quase dois meses.

Andreia Guerreiro
11 de outubro de 2009, 13:54

Adelaide de Sousa é um dos rostos que apoiam a Ajuda de Berço, na qualidade de madrinha do projecto A Vaquinha, que tem como objectivo a construção de uma nova casa para as crianças que a instituição acolhe diariamente. A campanha Restaurant Week é mais uma iniciativa para dar forma ao projecto, e a apresentadora e actriz não quis deixar de estar presente no restaurante Quinta dos Frades, onde decorreu o almoço de pré-lançamento desta iniciativa, que se estende até 18 de Outubro, em vários restaurantes de Lisboa, representando cada refeição um euro de contributo para a causa.

Uma ocasião para falarmos com Adelaide e sabermos como está a ser a sua adaptação às rotinas do bebé Kyle, que nasceu em Agosto. Aliás, foi a esta 'nova fase' que se deveu o seu pequeno atraso. "Estou a seguir as recomendações da pediatra, que me diz para dar de comer ao Kyle quando ele tem fome, não seguindo à risca qualquer horário, o que se torna complicado. Agora que já tenho feito alguns trabalhos pontuais, e que tenho de estar a horas em alguns sítios, tenho de fazer alguns malabarismos, e nem sempre consigo", revelou a apresentadora.

Adelaide de Sousa
Adelaide de Sousa
Victor Freitas
O que lhe faz mesmo mais falta é
"dormir sem interrupções.
[risos]
Se alguém me dissesse que eu iria conseguir passar uma noite a acordar de duas em duas horas, e que ao fim dessa noite iria conseguir ir trabalhar, acharia que não era possível. Sou muito dorminhoca, e ninguém me conseguia acordar. Para mim, é um pequeno milagre perceber que nos transformamos mesmo quando passamos por esta experiência da maternidade, em que as prioridades se alteram por completo. O bebé é o centro do universo".


Uma aventura que tem partilhado com o marido, o fotógrafo americano
Tracy Richardson
.
"O Tracy tem sido o parceiro ideal. Ele tem participado activamente deste projecto em que nos metemos. É perfeitamente capaz e, sobretudo, muito disponível."
Uma ajuda que tem sido fundamental para o bem-estar de Adelaide, que conseguiu perceber a tempo que estava a ficar com uma depressão pós-parto e rapidamente inverteu essa situação.
"Fiquei muito angustiada com tanta necessidade da parte do Kyle, ele precisava de mim a todas as horas e eu queria voltar à minha vida normal, comer um gelado, ir ao cinema à hora que me apetecesse e, por isso, precisei de reformatar a minha maneira de pensar. Percebi que este era o momento de investimento no bebé e não o de colher dividendos. E foi nisso que me foquei. Agora já vou conhecendo os ritmos do meu filho e aprendendo a respeitá-los sem me privar demasiado. Estou a conseguir um ponto de equilíbrio."


Confrontada com o facto de um dia poder vir a adoptar uma criança, Adelaide confessa que já pensou nisso, mas diz que
"para tomar essa decisão, é preciso outras certezas, uma solidez muito própria e uma certa vocação"
.


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras