Nas Bancas

Durante um passeio em família, Rui Rio diz: "A ideia que as pessoas têm de mim anda próxima daquilo que sou"

A CARAS falou com o presidente e candidato à autarquia num dos seus locais de eleição, os jardins do Palácio de Cristal.

Andreia Guerreiro
4 de outubro de 2009, 18:33

Presidente da Câmara Municipal do Porto desde 2001, Rui Rio candidata-se ao seu terceiro mandato à frente dos destinos da Invicta, e é com confiança que prepara mais uma campanha eleitoral. Talvez a última. Apologista da limitação de mandatos, o economista continua sem saber o que o destino lhe reserva para 2013, caso agora ganhe novamente. Seja qual for o seu veredicto, Rui Rio contará com o apoio incondicional da mulher, Lídia, e da filha, Marta, de oito anos, que discretamente o acompanham e admiram.
Durante um passeio matinal pelos jardins do Palácio de Cristal, Rui Rio partilhou com a CARAS a responsabilidade que sente em não defraudar todos os que o surpreenderam com a vitória em 2001 e lhe deram a maioria absoluta em 2005. Certo de que "a ideia que a maioria das pessoas tem de mim anda muito próxima daquilo que eu sou", Rui Rio afirma que "o tempo é o remédio mais eficaz" e que, ao fim de oito anos, as pessoas o conhecem pelos seus actos e "postura coerente".
Aos 52 anos, metade dos quais dedicados à actividade política, Rui Rio está habituado a não reunir o consenso à sua volta. Sem receio de comprar "guerras" a troco do que considera melhor para a cidade, o economista conta o que planeia para os próximos quatro anos, se os portuenses lhe renovarem o voto de confiança.

- Conta uma vez mais com o apoio da família para esta luta?
Rui Rio - Não é bem para a luta, mas para o desempenho de um cargo. A minha família não sofre directamente com as campanhas, mas com o exercício do cargo. A minha média de trabalho é superior a 12 horas, é lógico que a família se ressente. Mas é claro que me apoiam.

- Discute assuntos relativos ao seu cargo com a sua mulher?
-
Quase nada. Pessoalmente, raramente abordo o tema, mas a Lídia por vezes questiona-me sobre o que lê no jornal.

- A Marta sabe qual é o papel do pai na vida da cidade do Porto?
- Tem alguma consciência disso. Não abarca tudo, porque só tem oito anos, mas percebe que há uma diferença em relação aos pais das amigas.

Lídia, Marta e Rui Rio
Lídia, Marta e Rui Rio
Joaquim Norte de Sousa
- Gostava que ela seguisse uma carreira política?

-
Não a vou influenciar em nada, mas preferia que a Marta não fosse por este caminho. Se pudéssemos recuar no tempo 30 ou 40 anos, poderia dizer que teria orgulho que ela seguisse uma carreira política, porque é uma actividade de grande nobreza. Mas hoje a sociedade desconfia de quem vai para a política. A continuar assim, não é uma actividade prestigiante, portanto, se a minha filha não for por aí, não é mau. Se for, é porque é a vocação dela. Mas gostava de a ver a fazer outras coisas.


- Qual é a sua opinião sobre as mulheres na política?

-
Sou completamente a favor, mas sou contra a existência de quotas. Acho aberrante esta lei, que creio ser indignificante para as mulheres. Acho bem que as mulheres participem, mas à força não. Por decreto não.


Rui Rio
Rui Rio
Joaquim Norte de Sousa
- Se ganhar, completa 12 anos à frente da autarquia. Já pensou no que vai fazer depois?
-
Ainda não tenho resposta para isso. Apesar de polémica, eu concordo com a lei de limitação dos mandatos, portanto, quando terminar o terceiro mandato, tanto posso procurar manter-me na actividade pública como procurar uma actividade privada que me agrade. Neste momento, as hipóteses estão divididas.


- A política deixa-lhe tempo livre para outras actividades?

-
Nas férias, aproveito para ler e praticar desporto. No dia-a-dia, leio muito, e passo algum tempo no computador. Gosto bastante de cinema, de ver filmes e de os montar. Tenho diversos filmes das viagens que fiz. Filmava e, quando chegava a casa, montava-os com bandas sonoras.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras