Nas Bancas

Carolina Patrocínio revela: "Gostava de ser mãe cedo, antes dos 30 anos"

Aos 22 anos, a apresentadora é um dos rostos em destaque na SIC e vive uma fase feliz ao lado do jogador de râguebi Gonçalo Uva.

Andreia Guerreiro
1 de setembro de 2009, 10:39

Em pequena fazia peças de teatro para a família, aos 16 anos já trabalhava como apresentadora. Aos 22, Carolina Patrocínio é um dos rostos mais visíveis do entretenimento da SIC, com dois programas de destaque, o TGV - Todos Gostam do Verão e o Tá a Gravar. Desde que começou a namorar com Gonçalo Uva, jogador de râguebi do Grupo Desportivo de Direito e da Selecção Nacional, há um ano, que a apresentadora tem visto a sua vida pessoal ser capa de inúmeras revistas. Foi sobre esta exposição, mas também sobre a sua infância e a relação que mantém com as irmãs - Mariana, de 24 anos, Inês, de 17, Rita, de 14, Mónika, de oito, e Victória, de seis -, o pai, Pedro Patrocínio, e a mãe, Teresa Vieira de Almeida, que Carolina recebeu a CARAS na sua casa de família, no Algarve, onde passa férias desde criança.

Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Luís Coelho
- Cresceu numa casa maioritariamente composta por mulheres...
Carolina Patrocínio -
É a única realidade. É uma vida bastante agitada e animada e sinto-me privilegiada dentro da minha família por ter tantas irmãs. Odiaria ser filha única, e acho que ter irmãos só traz vantagens, pois aprende-se a partilhar o espaço, a ser mais tolerante, a ter poder de encaixe em relação aos diferentes feitios...


- Como foi a sua infância?
-
Foi a melhor possível, só tenho boas recordações, muitas delas aqui no Algarve, nas intermináveis férias de Verão, o que hoje em dia, infelizmente, já não acontece. Recordo-me de viver numa casa cheia, muito alegre, com muito convívio, onde todas as pessoas eram sempre bem-vindas.


- Sente que de alguma forma a sua vida foi diferente por ser filha de pais separados?
-
Tenho uma relação muito especial com os meus pais, são muito amigos e estamos muitas vezes todos juntos. Mas acho que não implicou nada a nível de crescer mais depressa ou lidarmos com situações constrangedoras cedo de mais. Acho que sempre levámos a situação para o lado saudável.


Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Luís Coelho
- Saiu de casa há um ano, para viver com a sua irmã. Foi uma adaptação difícil?
-
Os nossos pais sempre nos educaram com o lema 'liberdade com responsabilidade' e tanto eu como a Mariana sempre tivemos liberdade no nosso quotidiano. Agora, o que fez diferença foi o factor privacidade, pois viver numa casa cheia é bastante diferente de termos o nosso espaço e o nosso canto.


- Foi então uma mudança positiva. Sente que foi na altura certa?
-
Não foi muito planeado, aproveitámos a oportunidade de irmos viver para uma casa que já era de família e que em tempos tinha pertencido aos meus pais. Não foi uma mudança assim tão grande, pois, apesar de termos saído de casa, estamos a 100m da casa da minha mãe e a 500m da do meu pai, estamos muito perto. Isso também nos faz sentirmo-nos protegidas.


- Parece estar numa fase pessoal e profissional muito boa...
-
É verdade, tento nunca me sentir demasiado satisfeita, pois acho que é bom vivermos na insatisfação para querermos sempre melhorar, e nisso sou muito exigente, mas sinto que de facto tudo me tem corrido bem. Tenho dois programas em antena na SIC, em dois horários muito importantes para a estação, estou a acabar o meu mestrado na Católica, e a nível pessoal também corre tudo muito bem. [risos]


Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Luís Coelho
- Há um ano que namora com o Gonçalo e o facto de serem ambos caras conhecidas tem despertado o interesse da imprensa. Fica incomodada com isso?
-
Muito. Dificilmente baixo a guarda, já sei as regras do jogo, o que inicialmente desconhecia. Sei com o que posso contar e sei o que não quero. Custa-me muito ver o meu nome na imprensa e, apesar de saber que a mediatização é uma consequência do meu trabalho, evito-a. Por isso tento manter a minha intimidade e a minha privacidade, seja no que diz respeito ao meu namorado, seja no que toca à minha família, longe da imprensa.


- Faz parte dos seus planos casar-se e ter filhos?
-
Claro que sim, como acontece com quase todas as mulheres, gostaria que um dia isso acontecesse. Sempre foi algo muito presente na minha vida e gostaria de ter muitos filhos, mas não tantos como a minha mãe teve. [risos]


- É uma coisa a programar?
-
Gosto de programar minimamente a minha vida, sendo que a profissão é cada vez mais inconstante, mas acho que conseguirei equilibrar as coisas.


- E quando é que se imagina a concretizar esse desejo?
-
Gostaria de ser mãe cedo, antes dos 30, mas ainda falta algum tempo. [risos] Como quero ter muitos filhos, parece-me melhor começar cedo... [risos]


- Uma revista publicou que a Carolina e o Gonçalo já tinham planos concretos de casamento. É verdade?
-
Não, não há qualquer tipo de planos para nos casarmos, nem nunca dei qualquer indício de que isso pudesse acontecer. É pura especulação e aproveitamento de um momento muito bom que estou a viver.


Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Carolina Patrocínio em produção exclusiva para a CARAS
Luís Coelho
- Também se disse que o Gonçalo abandonou a carreira em França para passarem mais tempo juntos...
-
Tudo o que saiu acerca da carreira do Gonçalo são meras especulações que deveriam ser tratadas directamente com ele. O que posso dizer é que se tratou apenas do término do contrato com a equipa. O facto dele ter vindo para Portugal não teve rigorosamente nada que ver com a nossa relação.


- Agora que o Gonçalo vai estar cá definitivamente, põem a hipótese de viverem juntos?
-
Não gosto de falar sobre isso, mas o que posso dizer é que acho pouco provável que assim seja. Quero manter a minha vida como tem sido até aqui.


- Como se imagina daqui a dez anos?
-
Se possível, ainda a fazer televisão, com projectos de solidariedade, casada e com filhos. [risos]


- Que fase da vida é esta que vive actualmente?
-
Não gosto de dizer tranquila, pois tenho uma vida bastante agitada e pretendo que se mantenha, mas a vida sabe-me bem. Costumo dizer que a vida me tem realmente proporcionado muitas coisas boas. Esta é uma fase muito boa em que tudo me corre em pleno tanto a nível pessoal como profissional.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras