Nas Bancas

Morreu Edite Soeiro

Membro do Gabinete Editorial da revista Visão, era a jornalista há mais anos em actividade até se ter retirado, em 2007.

Andreia Guerreiro
27 de julho de 2009, 20:00

"Gosto de trabalhar e de trabalhar muito" declarava Edite Soeiro em 2006, ano em que recebeu o Prémio Gazeta do Mérito, o galardão máximo da sua profissão, atribuído pelo Clube de Jornalistas. Morreu hoje, aos 75 anos.

Morreu Edite Soeiro

A "maravilhosa Edite", como era tratada por amigos e admiradores, iniciou a sua carreira em 1950 no semanário angolano O Intransigente, no qual era a única mulher jornalista. Em 1962 veio para Lisboa trabalhar na Flama, onde passou de grande repórter a chefe de redacção. Viria depois a ocupar este mesmo cargo na revista semanal Notícia, que acumulou com a chefia de redacção da Revista de Rádio e Televisão. Foi no virar da década de 60 para a de 70 que começou também a escrever nos jornais sobre desporto, uma das suas paixões. Voltou à Flama em 1972, novamente para chefiar a redacção. A partir de 1977, publicou textos no semanário O Jornal e colaborou com o Sete. Em 1993 integrou a equipa fundadora da revista Visão, onde permaneceu em funções até 2007. O seu nome mantinha-se ainda na ficha técnica da revista enquanto membro do Gabinete Editorial.
A todos os colegas de profissão deixa a herança de um exemplo a seguir enquanto jornalista íntegra, corajosa, determinada e inteligente.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras