Nas Bancas

Marta Leite Castro fala da fase feliz que vive ao lado de Frederico Cazal-Ribeiro

A apresentadora partilhou com a CARAS as emoções que pautam a sua vida. O amor incondicional pela filha, Mia, a dedicação ao trabalho e a relação que vive com o empresário ditaram o rumo da conversa.

Andreia Guerreiro
20 de julho de 2009, 12:24
Marta Leite Castro
, de 30 anos, é uma das apresentadoras mais conhecidas da televisão portuguesa. O segredo do sucesso parece ser a sua dedicação a cada projecto que abraça, seja na apresentação, na moda, na representação, na solidariedade ou na publicidade. Aliás, recentemente a apresentadora tornou-se a embaixadora, em Portugal, do Prazer Magnum, marca para a qual testou o seu quociente de prazer, que deu o impressionante resultado de 200 - mais do que o da embaixadora internacional,
Eva Longoria
. Marta não se espantou com o resultado do teste (que qualquer pessoa pode fazer em
), uma vez que admite adorar os
"pequenos prazeres da vida"
. Entre eles, Marta elege como o maior de todos estar com a filha,
Mia
, de quatro anos, fruto da sua relação com
Leonel Vieira
. Mãe presente, a apresentadora admite que quer ter mais filhos e não põe de lado a hipótese de se casar.


Depois de lhe terem sido atribuídos vários romances, vive agora uma relação serena, a que não quer chamar namoro, com
Frederico Cazal-Ribeiro
, ex-marido de
Sofia Grillo
e pai da filha da actriz,
Sofia
, de sete anos.

Foi durante uma produção 'saborosa' que Marta partilhou com a CARAS um pouco da sua vida, na qual o amor, a entrega e a dedicação são protagonistas.


- Recentemente apareceu de mãos dadas com Frederico Cazal-Ribeiro. Namoram?
Marta Leite Castro -
Não gosto de rotular as coisas... Aparecemos pela primeira vez juntos em Setembro do ano passado, no Algarve, e desde então a relação está diferente. Há uma diferença na nossa cumplicidade e em tudo. Naquele momento não namorava com ele. O Frederico fazia parte do meu grupo de amigos e a dada altura resolvi aproximar-me mais. Não é só amizade... Temos uma relação muito próxima. Estou a conhecer alguém na sua totalidade. E é giro ver como é que duas pessoas resultam juntas.


- Ou seja, está a ser uma relação construída passo a passo...

- Gosto da maneira como tudo aconteceu. Ele acompanhou o fim do meu namoro com o Lisandro [López] e viu os namoros que me atribuíram. E foi bom ele acompanhar isso tudo, para poder compreender. Uma relação tem de ter como base a amizade. Isso é o mais importante de tudo. Estou cautelosa e a levar um dia de cada vez, mas também estou entusiasmada.

- Tal como a Marta, o Frederico tem uma filha. Isso ajuda a que se sintam mais próximos?
-
Sinto-me identificada com ele sobretudo por isso. Olhamos para as nossas filhas da mesma maneira.

- Uma relação assim pode levá-la a casar-se?
-
Sempre quis casar-me, é um desejo que tenho, mas sinto um grande respeito por esse passo. É uma grande responsabilidade. Mas não quero um casamento tradicional, ter alguém a abençoar o casamento no meio do campo seria o cenário ideal.

- A certa altura, a imprensa atribuiu-lhe vários namorados. Como é que lidou com isso?
-
Tive fases. Muitas das coisas que a imprensa escreve caem em saco roto. Nunca escondi o que é verdade, mas também não tenho de falar sobre isso. E tive de assumir o meu namoro com o Lisandro, porque atribuíram-me uns quatro namorados! Houve alturas em que me senti incomodada com isso, mas depois passou. Tenho uma filha, que tem avós e que vão ler estas coisas. São pessoas que não estão neste meio e a quem estas notícias incomodam. Mas não tenho vergonha nenhuma em admitir que depois do Leonel namorei com o Paulo [Costa] e com o Lisandro.

- Só teve essas relações depois do Leonel Vieira?
-
Sim. Namorei meio ano com o Paulo, depois com o Lisandro, e não me arrependo. E depois as pessoas dizem: 'Ah, ela já namorou com dois...' Dois é muito? Sou jovem e tenho direito a namorar. E às vezes nem se trata de namorar, e sim de conhecer alguém melhor.

Marta Leite Castro em produção para a CARAS
Marta Leite Castro em produção para a CARAS
Mário Galiano
- Parece ser uma pessoa reservada. Como é que tem lidado com o seu crescente mediatismo?
-
Sinto que as coisas correm bem. É difícil lutar contra aquela minha parte de ficar quieta no meu canto. Sou muito caseira. Sempre que posso optar, fico em casa a brincar com a minha filha, a jogar, a ver filmes... E o outro lado choca com a minha maneira de ser. Quando estou com mais trabalhos, sinto que vou para os leões, mas no melhor dos sentidos. É como se houvesse duas Martas. Há pessoas que adoram isto e que mal acordam estão prontas. Eu tenho de ser um bocadinho empurrada. Acho que tenho alguma timidez. Consigo ser desinibida, mas só na minha vertente pública.


- E como é que tem vivido o seu papel de mãe?
-
Sou a mãe que dá amor e carinho. O resto ainda estou a aprender. Como tenho muito trabalho, há coisas que delego. Mas não há outra maneira. E faço muito mais com ela as rotinas do mimo e da brincadeira do que as de logística. A minha filha olha para mim e diz: 'Minha mamã.' E eu fico louca! Desejo muito ter mais filhos, mas tenho um medo terrível de voltar a engravidar.


- Porquê?
-
Foi tão complicado para mim ser mãe tão jovem e lidar com as mudanças... Não é a questão de engordar, porque rapidamente voltamos ao lugar, mas é ficar sentimentalona... Fiquei muito sensível com a gravidez. E tenho medo do processo. Gostaria de voltar a ser mãe, mas não antes dos 35. E não gostava que isso acontecesse antes só por um motivo: a Mia não me teve sempre lá enquanto era mais pequena, e de há um ano para cá está a ter-me mais. Quero desfrutar mais da minha filha.


- A Marta trabalha em várias áreas. Como gere tudo isso?
-
Não me sinto bem a trabalhar só numa área. Quando estou só a apresentar, procuro rapidamente outra coisa para fazer, como a solidariedade. Só me meto em algo quando acredito que tenho capacidades para o fazer bem. Gosto de ir experimentando, e tenho de gostar. Não vou dar o litro por uma coisa de que não gosto. É o meu lema de vida, ter muito brio nas coisas que quero e gosto de fazer.


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras