Nas Bancas

Bibá Pitta e o marido, Fernando Gouveia

Bibá Pitta e o marido, Fernando Gouveia

Catarina Larcher

Bibá Pitta abre o coração e partilha com o público as angústias que viveu com o nascimento da filha Madalena

"Comovo-me sempre. Cada vez que leio uma página do livro, lembro-me daquele dia, daquele momento..." (Fernando)

Melissa Tavanez
5 de julho de 2009, 14:09

"A Madalena foi feita com tanto amor que nasceu com um cromossoma a mais." É assim que Bibá Pitta fala da filha que a levou a lançar o seu primeiro livro, apresentado a semana passada no Altis Belém Hotel & Spa. Escrito por Inês de Barros Baptista, O Cromossoma do Amor reúne uma série de testemunhos de familiares e amigos de Madalena em contraponto com os relatos emocionados e realistas da mãe que, há 12 anos, se viu confrontada com o facto da filha ter nascido com trissomia 21 ou síndroma de Down. Os preconceitos dos outros, as dificuldades da família e as dúvidas dos pais, mas também as alegrias e os afectos com que a filha tem brindado as suas vidas, levou Bibá a abrir o seu coração e, num discurso cheio de emoção e realismo, apresentou este livro, com o qual pretende ajudar a mudar mentalidades e a lutar contra os preconceitos.
"Falava há tanto tempo na vontade de escrever este livro que acho que já ninguém acreditava que o fizesse! Mas tinha de sentir que era a altura ideal para o fazer, porque se trata da história da minha vida, não é ficção... Estamos todos a abrir a nossa vida, os nossos corações, e a falar de nós. Portanto, era uma coisa muito séria que teria de ser
feita no momento certo", explicou Bibá Pitta no final da apresentação, confessando-se muito feliz, emocionada e grata por tudo quanto a vida lhe tem dado.
O silêncio que reinava na plateia durante o discurso de Bibá ilustra bem o ambiente que se viveu: não houve quem não se emocionasse e muitos tentavam esconder as lágrimas que corriam teimosamente. Nem o marido de Bibá e pai de Madalena, o médico Fernando Gouveia, de 40 anos, conseguiu conter a emoção, apesar de ser uma história que conhece melhor que ninguém. "Não escondi lágrima nenhuma! Apesar de estar muito por dentro da história e de já ter lido o livro várias vezes, comovo-me sempre, porque são emoções muito verdadeiras, muito vividas. Cada vez que leio uma página do livro lembro-me perfeitamente do que se passou, do dia, do momento, portanto, continua a ser muito comovente para mim", admitiu Fernando, que fez questão de salientar a relação fantástica de protecção entre os irmãos de Madalena: Maria, de 16 anos, Tomás, de 15, Salvador, de dez, e Dinis, de dois anos e meio.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras