Nas Bancas

O casal com as filhas, Madalena e Matilde

O casal com as filhas, Madalena e Matilde

Luís Coelho

Susana e António Lacerda nobre passam fim-de-semana em família no monte caras

A convite da CARAS, o casal e as duas filhas, Madalena e Matilde, passaram dois dias no campo, no Monte Velho, na Carrapateira

Andreia Guerreiro
30 de maio de 2009, 11:44

Se há casal a que se aplique a expressão "os opostos atraem-se" é a Susana e António Lacerda Nobre, de 36 e 38 anos. Ela tem uma energia contagiante, ele é calmo. Susana adora falar e é expressiva, António é calado e observador. Apesar de serem em quase tudo diferentes, o consultor no ramo automóvel e a mulher partilham o que de mais importante há nas suas vidas: a dedicação às duas filhas, Madalena, de sete anos, e Matilde, de 12. Casados há 13 anos, ambos têm no bem-estar da família a sua grande prioridade, e foi sem pensarem duas vezes que decidiram que o melhor para todos era Susana deixar de trabalhar, uma escolha que continuam a considerar acertada.
Foi sobre esta vida dedicada à família que falámos com o casal, que passou um fim-de-semana especial no Monte Velho, na Carrapateira, a convite da CARAS.

- Por que é que optou por ser mãe a tempo inteiro?
Susana - Eu era consultora de recursos humanos e trabalhava muito. Chegava tarde a casa e muitas vezes trabalhava durante o fim-de-semana. E comecei a pensar que passava mais tempo com os meus colegas do que com a minha família. Na altura, nem conseguia dar banho à Matilde. E estava sempre desencontrada do meu marido, porque ele trabalhava muito aos fins-de-semana. Entretanto, engravidei da Madalena e a ideia de deixar de trabalhar começou a fazer mais sentido.

- Foi uma decisão difícil?
- Não. A vida passa tão depressa... Apercebi-me de que tinha de aplicar o meu tempo na minha família e nas coisas que realmente valem a pena. E sei que o meu marido e as minhas filhas ficaram a ganhar com esta minha decisão. Ganhámos qualidade de vida. E até o nosso casamento saiu fortalecido, porque consigo ter tudo muito mais organizado.

- Mas não tem saudades de ter um emprego fora de casa?
- Não há situações ideais... Claro que às vezes sinto saudades de trabalhar. Mas não me arrependo.

- Acha que abdicou de si e dos seus projectos a favor do bem-estar da sua família?
- Não, pelo contrário. Eu é que fiquei a ganhar com isto, porque é uma experiência pessoal muito recompensadora. Acompanhei todos os passos da Madalena e isso é muito mais gratificante para mim do que qualquer emprego. Não quer isto dizer que, mais tarde, não volte a trabalhar... Mas sei que é difícil voltar ao mercado de trabalho. O que até posso fazer é dedicar-me ao voluntariado. Como as minhas filhas já estão na escola, tenho mais tempo livre e quero dedicar umas horas do meu tempo às pessoas mais velhas.

- O António e a Susana são muito diferentes. Essas diferenças nunca prejudicaram a vossa relação?
- Costuma-se dizer que os opostos se atraem. Se fôssemos iguais, a nossa relação não funcionava. Somos os dois muito diferentes, mas temos o mesmo sentido de família. E isso é muito importante. O que mais me atraiu no Tó foi o desejo que ele sempre teve de ser pai.
António - Podemos ser diferentes e quase não temos gostos em comum, mas também somos muito amigos.
Susana - E apesar de não gostarmos das mesmas coisas, fazemos questão de as partilhar um com o outro.

- Têm tido um casamento feliz, mas com certeza também já passaram por momentos menos bons. Como é que os têm superado?
António - Com muito respeito um pelo outro. A amizade também tem sido muito importante. Tivemos uma educação com valores, e a família sempre foi um deles. Claro que temos problemas, como todos os casais, mas conseguimos sempre ultrapassá-los.
Susana - A nossa família é aquilo que mais queremos preservar. Pode parecer um cliché, mas vivemos realmente para a família e para que este projecto dê certo. Gostamos muito de ter filhos e de estarmos casados. E também nunca tivemos uma situação de ruptura...

- Com uma vida tão dedicada à família, têm tempo para estar só os dois?
- Sim. Claro que o facto de eu não trabalhar facilita imenso nesse aspecto. E conseguimos fazer alguns fins-de-semana só a dois. Ainda há pouco tempo, o Tó surpreendeu-me e fomos para Praga. Ele adora fazer surpresas e, tico. E nunca nos acomodámos como casal.
António - Gosto de fazer surpresas, mas acho que o romântico da relação é a minha mulher.

- E como é que tem sido viver numa casa rodeado de mulheres?
- Óptimo, porque sou o homem da casa. [risos] Mas já estava habituado, porque cresci com três irmãs.

- Mas também deve precisar de se abstrair deste universo feminino...
- Claro. E faço questão de ter momentos só meus. Todos os domingos vou ter com os meus amigos e andamos de mota. É o único momento da semana que tenho para mim.

- Acredito que com a importância que dão à família, a educação das vossas filhas seja uma das vossas maiores preocupações...
Susana - Não é fácil educar duas filhas. Não planeamos a educação que lhes damos, porque sai tudo naturalmente. Temos é uma grande preocupação com o futuro delas. A Matilde já está a entrar na adolescência, e nem sei muito bem como é que vamos gerir isso. Os nossos pais estão sempre a dizer-nos que somos muito pais-galinhas e que exageramos na protecção que damos às nossas filhas.
António - Temos muita sorte com as filhas que temos, porque são muito ajuizadas.

- A Matilde e a Madalena dão-se bem?
Susana - A Matilde é muito tolerante e tem muita paciência com a Madalena, que é muito mimada. Ninguém quer que a Madalena cresça, nem nós. E parece que a infância dela está a ser prolongada...

- E isso significa que ainda querem ter mais filhos?
- Para que isso acontecesse, tínhamos de mudar muita coisa na nossa vida.
António - Se eu soubesse que o terceiro era rapaz, arriscava. Gostava de ter um companheiro que partilhasse a paixão das motas comigo. O pior era se ele não gostasse. [risos]

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras