Nas Bancas

Marisa Cruz

Marisa Cruz

João Lima

Marisa Cruz e João Pinto a uns dias do casamento: "É a cereja no topo do bolo"

À espera do segundo filho em comum, o casal está empenhado nos preparativos  da cerimónia 

Andreia Guerreiro
28 de abril de 2009, 13:35

Marisa Cruz parece estar a viver um momento de sonho: encantada com o crescimento do filho, João, de três anos, está grávida de cinco meses do segundo rapaz e vai casar-se no próximo dia 2 com João Pinto. A CARAS acompanhou Marisa numa produção fotográfica para a revista Activa, que será a capa do próximo número, e aproveitou a presença do ex-jogador e actual comentador desportivo para uma conversa informal na qual João Pinto falou com entusiasmo da gravidez de Marisa, do filho mais novo e dos dois filhos do primeiro casamento, Tiago, de 21 anos, e Diana, de 18, de quem se sente cada vez mais próximo.
João Pinto acabaria por sair do estúdio pouco antes da produção terminar, precisamente a caminho do estádio do Trofense, para acompanhar um jogo de Tiago - que se casa esta Primavera com a namorada de há três anos, Bárbara Brilhante -, pelo que já não acompanhou a entrevista de Marisa.

- Passou uma fase conturbada quando se separou, mas agora parece estar bem mais próximo dos seus filhos mais velhos...
João Pinto - Não há nada melhor do que estar em harmonia com os filhos. Nenhum pai deseja o contrário. Estarmos juntos, nem que seja só a conversar, é uma felicidade para mim.

- E prepara-se para ser pai pela quarta vez...
- Sim. Não é novidade para mim, mas é sempre muito boa a sensação de ser pai. Felizmente, a Marisa tem tido uma gravidez muito tranquila, mas há sempre cuidados a ter e tento estar atento a isso. Só faltei a uma consulta, porque estava em Lisboa e não tinha como estar lá nesse dia. Talvez por estar mais velho e maduro, tenho tendência a ter mais cuidados com a Marisa. Às vezes, até quando o João está a brincar com ela estou sempre a avisá-lo para ter cuidado com a barriga. Não a deixo pegar em coisas pesadas, enfim, detalhes a que estou ainda mais atento desta vez.

- Já pensaram no nome para o vosso filho?
- Já pensámos, mas não queremos divulgar ainda. O João queria que fosse Tiago [risos].

- Aproveito para falar do Tiago, cujo casamento vai acontecer em breve. Imagino que esteja a acompanhar tudo...
- Tenho falado muitas vezes com o meu filho sobre a vida dele, e agora sobre o casamento, e estou tranquilo em relação a tudo. Dei-lhe muitos conselhos, não só a ele, como também à Bárbara. Ele é adulto, é dono da sua vida, muito responsável, já trabalha, sustenta a sua família, por isso, é ele quem tem que tomar as decisões. Eu, como pai, estarei sempre com ele. E está muito bem acompanhado, sinto que estão felizes, e isso é o mais importante.

- Por coincidência, o João vai também casar-se este ano. Sei que será uma cerimónia simples e muito reservada...
-
Sim. Nós temos pautado a nossa vida pessoal por alguma reserva e é assim que faz sentido que seja o casamento.

- Era o passo que faltava na vossa relação?
- Sim. Já tínhamos decidido casar-nos há algum tempo e agora, com naturalidade, chegou o momento.

- O que espera desse dia?
- Só quero que as pessoas se divirtam. É um momento de celebração, que espero que corra bem. O que mais nos preocupa é que todos se sintam bem.

- É sempre um momento emotivo na vida de um casal?
- Claro que sim. Sobretudo porque o vamos partilhar com as pessoas de quem mais gostamos. E como somos nós a organizar tudo, tem ainda mais valor.

- Em termos profissionais, tudo tem corrido bem e acaba por continuar ligado ao mundo do futebol como comentador...
- Tem sido um grande desafio ser comentador. Quando tenho que falar de amigos é mais complicado, mas penso que tenho conseguido fazer tudo da melhor forma, e quando tenho de criticar, faço-o de uma forma construtiva. Por isso sinto-me muito bem neste papel, bem como com as crónicas que escrevo no jornal O Jogo, que me preenchem bastante. Estou ainda ligado ao Sindicato dos Jogadores, onde infelizmente temos tido mais trabalho do que desejávamos. E tenho um projecto nas escolas, que passa por alertar os miúdos para que é possível fazer desporto sem abdicar dos estudos. Tudo isto me preenche e me faz sentir realizado profissionalmente.

- O pior é quando tem que comentar um jogo do seu filho...
- Faço uma análise geral do jogo e sou sempre imparcial. Obviamente que quero que o Trofense ganhe, mas quando tenho que fazer a análise, faço-o de uma forma normal.

- É um orgulho ver um filho seguir os passos do pai?
- É um orgulho ver o meu filho jogar, mas é muito doloroso estar do lado de fora. Às vezes apetece-me entrar em campo e dizer-lhe o que fazer.

- Sei que o seu filho mais novo é um dos maiores fãs do Tiago.
- O João adora o irmão, não o larga quando está lá em casa. O mano é exemplo para tudo e até colecciona os cromos dele. Às vezes tem uns antigos onde eu ainda apareço e pergunta porque não jogo. É muito engraçado. E tem já várias camisolas de clubes em casa, mas a que mais gosta de vestir é a do Trofense com o nome do irmão.

- A sua filha tem sido bem-sucedida nos estudos e começa a seguir outro dos seus sonhos, a dança...
-
A Diana sempre foi uma excelente aluna, e é uma miúda com os objectivos muito bem definidos. E luta por eles, como acontece com a dança, uma das suas grandes paixões. Em breve poderá vir a ter repercussão dessa luta, dependendo de um
casting
que fez. Acredito muito nela e tento sempre estar ao seu lado em tudo.

- Marisa, como tem corrido esta segunda gravidez?
Marisa - Muito bem. Na verdade, quase nem tenho tido tempo para desfrutar desta gravidez, porque tenho de cuidar do João, tenho a loja, o trabalho, a casa. Não é fácil conciliar tudo, mas começo mais cedo o dia e acabo por me deitar mais cedo também. Do ponto de vista médico tem sido uma gravidez muito tranquila, tal como a primeira.

- O seu marido tem estado muito presente, até hoje veio acompanhar este trabalho...
- Nem sempre pode [risos]. Ele gosta de acompanhar tudo e é um pai muito presente. Está sempre atento a tudo, para saber se o bebé está bem, se eu estou bem...

- Sente-se menos ansiosa por ser a segunda gravidez?
- Tenho vivido esta gravidez com menos ansiedade, porque já sei como tudo se processa. Só estou curiosa para perceber se o segundo filho vai ser igualmente parecido com o pai, ou se desta vez vai sair mais à mãe...

- Acha que vai ser difícil cuidar de dois filhos?
- Não me assusta nada ter de conciliar a minha vida com a chegada de um segundo filho. Quem cria um, cria dois. E o João já terá quatro anos quando nascer o irmão, vai ser mais fácil.

- Como está o Joãozinho?
- Está muito engraçado, está lindo. Às vezes tem expressões que quase parecem de um adulto. E já não usa fralda. Tem sido fantástico vê-lo crescer. Ser mãe é mesmo a melhor coisa do mundo. Não há nada que me preencha mais ou me deixe mais feliz. Acho que nasci mesmo para ser mãe.

- Parece estar a atravessar uma fase muito feliz...
- Sim. Tenho trabalhado bastante, estou a realizar mais um sonho, ao ser mãe pela segunda vez, vamos casar-nos... Mais não posso pedir.

- O casamento também era um sonho para si?
- Agora é... Tornou-se um sonho. Era algo que esperávamos concretizar há algum tempo e agora faz todo o sentido.

- Era o único passo que vos faltava dar, enquanto casal?
- Sim. Era preciso oficializar, apesar de já nos sentirmos praticamente casados. Não vai mudar muito coisa, mas acho que é a cereja no topo do bolo. Digamos que deixo de ser a companheira para ser a mulher. Por vezes, apesar de me sentir mulher do João, fazia-me confusão usar esse termo sem nos termos realmente casado.

- Sente-se ansiosa?
-
Não. A nossa preocupação é que corra tudo bem e que o casamento seja divertido. Vai ser uma cerimónia dinâmica e, ao mesmo tempo, muito íntima, porque vão estar apenas os amigos mais próximos e a família. Vai ser uma cerimónia simples, num sítio muito bonito e romântico que parece tirado de um filme. O jantar vai ter alguma cerimónia ou algum glamour, digamos assim, mas dentro do nosso estilo simples. É a nossa maneira de estar e queremos que as pessoas se sintam em casa.

- Escolheram o Norte...
- Escolhemos casar-nos no Norte porque a nossa vida é aqui, onde vivemos e onde está também grande parte da nossa família.

- Já escolheu o vestido?
- Já escolhi o vestido. Disse à Fátima [Lopes] o que queria, ela apresentou-me alguns desenhos e chegámos a um consenso. Será um vestido largo, como não podia deixar de ser. Apenas estará pronto próximo do dia do casamento, porque todos os dias aumento um bocadinho de tamanho.

- Vai ser branco?
- Sim, vou casar-me de branco. É o meu primeiro casamento, não me interessa que esteja grávida. Não acho muita piada a vestidos de noiva de outras cores, o branco é o mais bonito.

- E a lua-de-mel?
- Não vamos ter, para já, lua-de-mel. A seguir ao casamento as atenções vão virar-se todas para o bebé.

- Sente-se feliz?
- Sim, e sobretudo porque vejo que o João está cem por cento feliz. Isso é muito importante. Era o que faltava para a nossa felicidade. Porque quando ele não está bem, eu também não consigo estar. Agora está tudo quase perfeito. Somos uma família feliz.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras