Nas Bancas

Na Disneyland Paris, Paulo Pires e Astrid Werdnig falam do mundo mágico da paternidade que lhes foi apresentado pela filha, Chloë

Redacção Caras
31 de março de 2009, 00:00

Costumam ser muito reservados em relação à sua vida privada e raramente aparecem em eventos públicos acompanhados pela filha, Chloë, mas, desta vez, Paulo Pires, de 42 anos, e Astrid Werdnig, de 37, acabaram por aceitar o convite da CARAS para passarem um fim-de-semana no Disneyland Resort Paris, onde testemunharam o sorriso de felicidade da filha durante o evento de inauguração da Festa do Mickey. Aproveitando o facto de ter terminado recentemente as gravações da novela Olhos nos Olhos - na qual interpretou duas personagens, os gémeos Vítor e Vasco -, o actor iniciou assim as suas férias deste ano, que se prolongarão por mais alguns dias numa praia no Índico, uma vez que no Verão estará a trabalhar numa peça de teatro da autoria de Yasmina Reza, que subirá ao palco do Teatro Aberto. - Apesar de terem vivido durante três meses em Paris, nunca tinham vindo à Disney...Astrid Werdnig - Naquela altura não se proporcionou.Paulo Pires - Nem sequer equacionámos vir à Disney, pelo simples facto de não termos nenhuma criança na altura. Durante o tempo que cá estivemos, estávamos bastante ocupados e aproveitávamos o tempo que nos restava para fazer programas mais do nosso interesse. - Além de ser professora de Filosofia, a Astrid é também terapeuta familiar. Trabalha há muito tempo nesta área?Astrid - Há mais ou menos três anos, e estou a gostar muito. - E aplica as teorias que aprendeu na sua própria família, ou em sua casa não recorre às mesmas regras?- Acho que não. [risos] Claro que, de vez em quando, penso no que se está a passar na minha família em termos sistémicos... Pensamos no seu funcionamento, como toda a gente o faz, mas depois a sabedoria é aplicada mais nos clientes do que em nós próprios. "Foram sete meses intensos de gravações. Por isso, este é um momento de descompressão." (Paulo Pires) - O Paulo terminou há pouco mais de uma semana as gravações da novela Olhos nos Olhos...Paulo - E essa foi outra das razões que nos levou a aceitar este convite, porque, para mim, este é um momento de descompressão e de alguma compensação também. Estive diariamente com a minha filha e com a Astrid, mas, por estar envolvido num projecto tão intenso, tive as minhas limitações. Nem sempre conseguimos encontrar tempo ao fim-de-semana para fazer este tipo de coisas. Foram sete meses intensos de gravações. - E agora, vai deixar crescer o seu cabelo?- Vou. Habituei-me ao cabelo curto, que é extremamente prático, mas também já tenho saudades dele mais comprido. Quando mudo de personagem, também gosto de mudar a aparência, e acho que um actor deve sempre deixar crescer o cabelo o mais possível quando não está a trabalhar para depois não limitar o visual seguinte. - E a Astrid gosta mais de o ver de cabelo curto ou comprido?Astrid - Comprido. - A Chloë tem aprendido várias línguas, uma vez que fala com a mãe em alemão, com o pai em português, e ainda os vai ouvindo comunicar em inglês...- Nós temos este hábito de falarmos entre nós em inglês porque, quando nos conhecemos, nem o Paulo falava alemão nem eu falava português, embora entretanto tenha aprendido a falar português... - Mas o Paulo não aprendeu a falar alemão...Paulo - Não, eu adiei sempre a aprendizagem do alemão. Sempre disse que, quando a Chloë começasse a falar, eu iria estar sempre mais à frente do que ela... mas é mentira, porque ela já me ultrapassou! [risos] Neste momento ela é bilingue e eu não falo alemão. Percebo muita coisa, sei pedir algumas coisas essenciais, mas falar, não falo. "A Chloë nunca nos pediu um irmão. Já poderá ter dito alguma coisa, mas não por iniciativa dela..." (Paulo Pires) - A nível físico, ela é uma mistura dos pais, apesar de obviamente as cores serem da mãe. E em termos de personalidade, também é uma mistura dos dois?- Acho que sim. Quando tinha a idade da Chloë, também era bastante reservado e tímido, e ainda sou, embora menos.Astrid - Ainda era muito reservado como eu o conheci...Paulo - Acho que ela é, realmente, uma mistura dos dois. - Vão guardar na memória o sorriso dela durante estes dias na Disney, de cada vez que se cruzava com algumas das suas personagens favoritas?- Tal como as meninas da sua idade, ela fica muito deslumbrada com os vestidos e acessórios das princesas, mas acho que sai daqui com um carinho muito especial pelo Mickey, uma figura muito presente nesta festa.Astrid - Acho que ela nem conhecia muito bem a figura do Mickey...Paulo - Sim, e trouxe uma sereia como companheira de viagem, mas, a partir do momento em que o Mickey apareceu, a sereia passou a ficar fechada na mala. "Ter outro filho é uma possibilidade, mas não é um plano concreto. Também, ainda temos tempo..." (Astrid Werdnig) - Reparei que, sempre que a Chloë vê um bebé, fica enternecida a olhar para eles. Já alguma vez vos pediu um irmão?- Não, nunca chegou esse momento. Já poderá ter dito alguma coisa por graça, mas não por iniciativa dela. E nós também não temos planos, se era essa a pergunta seguinte... - Era a próxima pergunta, sim, mas a Astrid já disse que gostava de ter outro filho...Astrid - Sim, é uma possibilidade, mas não é um plano concreto que possamos dizer que vai acontecer agora. Também, ainda temos tempo...Paulo - Sim, e mais do que termos tempo... É uma coisa sobre a qual temos as nossas dúvidas em relação ao momento certo. Temos algumas dúvidas, mas não muitas... Por exemplo, tanto a Astrid como eu temos andado muito ocupados, e há fases em que acho que seria muito complicado ter uma criança pequena. Mas estamos bastante cool em relação a isso.Astrid - Também estamos tão bem agora, é uma fase tão engraçada, já temos as profissões que queríamos, e tudo está a correr tão bem neste momento que, se calhar, é um pouco difícil deixar tudo outra vez para depois recomeçar. Quando temos um filho, somos sempre obrigados a fazer uma pausa. Comigo também foi tudo mais complicado, pois, como mudei de país, tive de esperar algum tempo até conseguir fazer o que queria. Já dava aulas de Filosofia na Áustria, e tive de fazer um interregno quando cheguei a Portugal, até aprender a língua. Ter mais um filho agora implica fazer outra pausa ainda maior. Mas com isto não estou a dizer que não terei mais filhos.Paulo - Nós também não tivemos qualquer tipo de pressa em relação à Chloë. - Nem em relação ao casamento, pois namoraram muitos anos antes de se casarem...- Sim. Somos difíceis na tomada de decisões. Nós conhecíamo-nos há imenso tempo e só nos casámos quando a Astrid veio para Portugal, em 2000. O casamento foi também uma espécie de despedida da Áustria. - Para o Paulo foi um pouco mais fácil, mas para a Astrid... Foi uma prova de amor muito grande da parte dela largar tudo: emprego, país, família, amigos...- Sim, é uma prova de amor e também de coragem, embora seja igualmente muito aventureira.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras