Nas Bancas

Morreu Conchita Cintrón

Morreu Conchita Cintrón

Morreu Conchita Cintrón

Cavaleira tauromáquica peruana foi vítima de paragem cardíaca aos 86 anos

Redacção Caras
18 de fevereiro de 2009, 00:00

Morreu ontem, dia 17, em Lisboa, de paragem cardíaca, Conchita Cintrón, a cavaleira tauromáquica que era também conhecida como 'a deusa loira'.Concepción Cintrón Verrill nasceu no Chile, em Agosto de 1922, filha de um porto-riquenho e de uma americana, mas foi criada no Peru, onde iniciou a sua carreira tauromáquica, sendo por isso considerada peruana.Foi a primeira toureira conhecida internacionalmente e adquiriu nacionalidade portuguesa na sequência do seu casamento com o aristocrata português Francisco Castelo Branco, já falecido, de quem teve seis filhos, dos quais só uma rapariga. A relação de Conchita com Portugal é fácil de explicar: foi na escola do português Ruy da Câmara, em Lima, no Peru, que se iniciou nas lides equestres. Tinha 11 anos e as suas extraordinárias qualidades enquanto cavaleira, associadas a uma personalidade destemida, fizeram-no investir na formação da aluna enquanto toureira. O investimento deu frutos e Conchita viria a pisar as mais importantes praças do mundo nas décadas de 40 e 50, participando em mais de 400 corridas.Em Agosto de 2006, a CARAS fotografou-a pela última vez na Praça de Touros do Campo Pequeno, quando foi madrinha da alternativa da cavaleira Ana Baptista (na imagem, com o neto Manuel Castelo Branco).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras