Nas Bancas

Sandra Cóias: "Sou uma mulher de paixões em tudo o que faço na vida"

Redacção Caras
11 de fevereiro de 2009, 00:00

Apesar de ainda continuar a trabalhar em moda, Sandra Cóias está cada vez mais virada para o cinema. Second Life, onde faz o papel de uma fotógrafa um pouco desequilibrada que se envolve com outra mulher, acaba de se estrear e tem reforçado o seu mediatismo. Aos 36 anos, a actriz vive uma das melhores fases da sua vida, tanto a nível pessoal como profissional, e acredita que 2009 vai ser um ano ainda mais intenso. Talvez depois pense em concretizar o sonho de ser mãe, até porque confessa que já encontrou o pai certo, embora não revele a sua identidade. - Como correram as gravações deste filme?Sandra Cóias - Deu-me um prazer muito especial, sobretudo por trabalhar com alguns actores com quem já o tinha feito, como o Pedro Lima e o Nicolau Breyner. O filme é um desafio muito bom, que é o que tem piada na carreira de um actor. Apesar de ser um papel de suporte para a personagem do Piotr Adamczyk, como é o de todas as personagens. Sou uma fotógrafa um pouco desestruturada. "Não condeno, de forma alguma, a homossexualidade. É algo que não se escolhe e não é nenhuma doença." - Foi um desafio a vários níveis: não só teve de fazer cenas de nu, como também simulou uma relação com outra mulher...- Já tinha feito cenas em que aparecia parcialmente nua, mas o facto de ter tido uma cena com uma mulher até foi melhor por um lado. Porque - e não me interpretem mal - não há ali uma carga sexual. Se fosse com um homem, seria talvez mais constrangedor, pela tensão sexual. Falei bastante com a Liliana sobre a cena e tudo correu lindamente. E não foi uma cena gratuita. Quem vir o filme vai perceber que tudo aconteceu após uma noite de excessos, em que ela tinha terminado com o marido e estava carente. Depois de muito álcool e droga, aproveitou para procurar carinho na pessoa que estava mais próxima. - Já se conheciam na vida real, imagino...- Sim, mas tínhamos uma relação informal. Depois de sabermos o que tínhamos que fazer, falámos bastante e acredito que tudo correu muito bem. - Sente-se constrangida pelo mediatismo que a cena tem tido?- De forma alguma. Faria de novo. "Casar-me não tem nada que ver comigo, mas quero muito ter filhos." - Como encara a homossexualidade?- Não condeno de forma alguma a homossexualidade. Cada um tem o direito de fazer da sua vida aquilo que bem entender, desde que não magoe ou prejudique ninguém e esteja bem com a sua consciência. É algo que não se escolhe. E não é nenhuma doença, como muita gente diz. É algo perfeitamente natural. - Alguma vez lhe passou pela cabeça ter uma relação com outra mulher?- Por acaso, não. Comecei a namorar muito tarde, mas nunca me ocorreu ter uma relação com outra mulher. Apesar de agora, por causa do filme, sentir que algumas mulheres são um pouco mais atrevidas. [risos] - Sente mais isso depois do filme se ter estreado?- Já tinha sentido uma vez ou outra e, depois do filme, algumas mulheres têm-me feito uma abordagem diferente, seja na forma como olham e se aproximam ou mesmo pelo que dizem, mas reajo bem a isso. Tento explicar que tudo aquilo era ficção. Percebo perfeitamente a reacção, por isso nem sequer me aborrece. - É uma mulher de paixões?- Sou uma mulher de paixões em tudo o que faço na vida. Para fazer algo, tenho de estar apaixonada. "Comecei a namorar muito tarde, mas nunca me ocorreu ter uma relação com outra mulher." - E se falarmos de uma paixão mais específica? Daquelas que proporcionam sonhar com casamento e filhos?- Casar-me, não. Não tem nada que ver comigo e não é necessário para a felicidade entre duas pessoas. Mas claro que me apetece muito ter filhos, pelo menos um. Quero muito. - O que lhe falta para concretizar esse sonho?- Falta-me disponibilidade, dinheiro... basicamente, é isso. - Portanto, o futuro pai já encontrou?- Já encontrei, sim. Estou feliz e estamos muito bem. - Aos 36 anos continua a desfilar e a fazer fotos para moda. É um motivo de orgulho?- Claro que sim. Aos 36 anos faço desfiles de biquíni, o que acho fantástico e me faz sentir muito bem. - Qual é o segredo para manter a boa forma?- Sempre treinei muito. Adoro fazer desporto, e vou frequentemente ao ginásio. Depois, há quase onze anos que deixei de comer carne e não gosto de fritos, por isso acabo por ter uma dieta equilibrada e muito saudável. E é tudo muito natural. Até porque deixei de comer carne por uma questão ética. "O facto de ter feito uma cena de sexo com outra mulher até foi melhor, porque não existia a carga sexual que há com um homem." - Continua a lutar pelos direitos dos animais...- E vou lutar por isso até morrer. Adoro os animais e tento manter um papel activo na defesa das suas causas. - Pensa muito na idade?- Nem por isso. Sinto-me com 25 ou 26 anos. Às vezes as pessoas dizem-me que tenho que me apressar para ter um filho, e eu nem percebo porquê. Entendo que os anos passam, mas penso que ainda tenho algum tempo. Até porque agora estou a atravessar uma fase muito feliz da minha vida e queria aproveitá-la ao máximo. - Entretanto, tem já outros projectos?- Sim, já recebi um guião para fazer um filme no Brasil, em S. Paulo. Vou estudá-lo e decidir se aceito. E recebi também convites para participar num outro filme em Portugal e mais um fora do país. Enfim, acho que vai ser um ano bastante animado. - Apresenta ainda um programa no canal Benfica TV...- É um programa muito giro, que envolve duas coisas que adoro: futebol e apresentação. Há pouco tempo lançaram-me ainda um desafio para ser embaixadora da Earth Water, um produto com o selo do Alto Comissariado das Nações Unidas. O valor total da venda reverte a favor dos refugiados. Acho fantástico, é uma causa muito nobre e fiquei feliz por me terem convidado.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras