Nas Bancas

Virgínia d'Almeida Gerardo: "Este amor acabou com os momentos de tristeza"

Redacção Caras
22 de janeiro de 2009, 00:00

Desde que Virgínia d'Almeida Gerardo, de 57 anos, conheceu Flávio Carmelo, de 63, há cinco anos, num baile dedicado ao tango, e sobretudo desde o casamento, em Outubro de 2006, a advogada sente-se uma mulher mais feliz e completa. Foram necessários dez anos após a morte do primeiro marido para que Virgínia reencontrasse o amor e visse a sua vida mudar por completo, ao ganhar também uma nova família: os três filhos do engenheiro, Verónica, de 28 anos, Pedro, de 27, e Gustavo, de 25, e, mais recentemente, o primeiro neto, Martim, de dois anos. "Fui muito bem recebida na família do Flávio e nutro um carinho e uma ternura imensos por eles, assim como sei que eles sentem o mesmo por mim. Sinto que quando alguém está bem e feliz, como no meu caso, transmite mais simpatia e tranquilidade e até mais afectos. Procuro nunca perder isso e agora estou muito bem", confessou a advogada. "Adoramos viajar e escolhemos esta ilha pelo encanto e romantismo que tem." (Virgínia) Habituados a passar o máximo de tempo possível juntos, até porque ainda se sentem em lua-de-mel, Virgínia e Flávio organizam imensos programas a dois, e não dispensam viajar de vez em quando, como aconteceu recentemente, quando o casal passou uma semana em Bora Bora, na Polinésia francesa, e aí celebrou o seu segundo aniversário de casamento. "Adoramos viajar e escolhemos esta ilha pelo romantismo e encanto que tem. É realmente o paraíso na Terra. Foram dias maravilhosos. Momentos como este são fundamentais na vida a dois, pois se a pessoa se cinge apenas à vida profissional e de casa, a rotina instala-se e aí é complicado. O ideal é saber conjugar tudo e fazer coisas que dêem realmente prazer, como viajar, jogar golfe e dançar, no nosso caso", explicou Virgínia.Como seria de esperar, a advogada considera que este amor que vive actualmente é diferente daquele por que passou quando tinha apenas vinte anos, conforme contou à CARAS. "Este é um amor muito mais tranquilo, vivido sem tanta ansiedade, sem tanta exigência. Este amor acabou com os momentos de tristeza e solidão." "Quando alguém está feliz, transmite mais simpatia e afecto." (Virgínia) Inevitavelmente, e porque já vivia sozinha há mais de uma década, a vida da advogada, desde que se casou com o engenheiro, mudou por completo. Esta situação, ao contrário do que poderia acontecer, não a incomodou em nada, e até a deixou bastante satisfeita. "Foi muito fácil, mas é evidente que há sempre um período de adaptação necessário, pois, apesar de termos os dois muitos gostos em comum, há sempre uma mudança de rotina diária. Se voltasse atrás, faria tudo de novo, sinto-me lindamente neste período que estou a viver e que espero sinceramente que seja eterno. Sinto-me realmente uma mulher privilegiada e abençoada. Estou muito grata a qualquer ser superior que me tenha proporcionado encontrar o Flávio e a vida que tenho. Desejo a todas as pessoas um amor como o que estou a viver", desabafou, com a simpatia e sinceridade que lhe são características.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras