Nas Bancas

Mafalda Pinto: "Não me faz confusão nenhuma a diferença de idades entre mim e o Leonel, somos muito parecidos"

Redacção Caras
22 de janeiro de 2009, 00:00

Para muitos, o ano de 2008 terá pouco que desejem ver repetido, mas Mafalda Pinto só deseja que tudo continue como está em 2009: afinal, foi um ano especialmente positivo, tanto a nível pessoal como profissional. Se, por um lado, vingou definitivamente enquanto actriz, com o papel de Verónica na novela Feitiço de Amor, por outro, encontrou o amor junto do realizador Leonel Vieira, 14 anos mais velho, com quem mantém uma relação há quase um ano. Agora, só lhe falta concretizar o sonho de se estrear no teatro. Mas, aos 25 anos, tudo está, obviamente, em aberto. "Uma relação com alguém do mesmo meio facilita tudo." - O ano que passou marcou um grande salto na sua carreira e na sua vida...Mafalda Pinto - Estou muito bem, sim. Quando uma pessoa está bem profissionalmente, consegue, mais facilmente, encontrar o bem-estar na parte mais pessoal. E a minha é muito estável. - Encontrar o Leonel foi um dos pontos mais positivos do ano?- Sim, foi óptimo. - O que mais a atraiu no Leonel?- Nós somos muito parecidos, temos muita coisa em comum. Ele é muito divertido. E uma das coisas que mais prezo, seja no namorado ou nos amigos mais próximos, é a confiança. Podermos falar sobre tudo e termos à-vontade mútuo para nos criticarmos - no bom sentido, claro - é muito importante, e acontece connosco. "Uma das coisas que mais prezo, seja no namorado ou nos amigos mais próximos, é a confiança." - Imagino que essa confiança mútua seja muito positiva num meio tão inconstante com o do espectáculo...- Sim. Generalizando, acho que muita gente não compreende a nossa profissão, que implica uma exposição muito grande: em qualquer sítio somos observados ou interpelados. Em Portugal existe uma pressão muito grande, à qual temos de nos habituar. Ter uma relação com alguém que está no mesmo meio e que entende tudo isto torna as coisas mais fáceis. Complementamo-nos mais e melhor quando somos ambos alvo da mesma exposição e temos os mesmos horários loucos... Coisas que muitas vezes são um impedimento numa relação e, no meu caso, isso não acontece. - Lembrando o título da novela, sente-se enfeitiçada pelo amor?- Não, porque não acredito em bruxarias e feitiços. Não nego nada, mas não penso nisso, se calhar porque me assusta. Levo tudo de uma forma muito descontraída. O importante é gostarmos da pessoa e termos noção das coisas boas e más. Acredito no momento, no dia-a-dia. "Complementamo-nos mais e melhor quando somos ambos alvo da mesma exposição pública." - A diferença de idades entre si e o Leonel, ou o facto de ele já ter uma filha [Mia, da relação com Marta Leite Castro], tem implicações na vossa relação?- Não. Não me faz confusão nenhuma a diferença de idades entre nós. A idade é algo que tem muito que ver com cada pessoa. Antes de ser actriz tinha um namorado dois anos mais velho que eu que parecia ter muito mais. Penso que é tudo uma questão da postura que a pessoa toma perante a vida. E, como disse, penso que eu e o Leonel somos muito parecidos. A idade não muda nada. - Recentemente fez grandes elogios às capacidades do Leonel enquanto pai...- Isso foi... não gosto muito de falar de algo que não me diz directamente respeito. Isso foi um pouco para contornar uma pergunta em que me questionaram se ele seria o pai ideal, e eu disse que ele é um pai fantástico para a Mia, e é. Mas isso é algo que eu poderia dizer mesmo que fôssemos só amigos. Sobre a nossa relação, prefiro não falar muito. - Mas pode falar sobre o trabalho do Leonel...- Sim, claro. Já vi os filmes todos e tenho sempre uma opinião sobre o trabalho dele, como ele tem sobre o meu. Acho que isso é natural, ainda para mais quando trabalhamos no mesmo meio. Uma coisa tenho que dizer: o Leonel dirige muito bem os actores. Já estive nas gravações e ele tem um cuidado enorme com as pessoas, o que é muito importante para nós enquanto actores. Admiro-o muito por isso. "Quero muito concretizar o sonho de fazer teatro e espero que isso venha a acontecer em 2009." - Portanto, ajudam-se mutuamente...- Sim, claro. Muitas vezes peço-lhe a opinião sobre como fazer uma cena, tal como ele fala comigo sobre os seus projectos. E se não gostarmos, dizemos sempre. - Sei que no dia-a-dia é uma pessoa regrada, muito cuidadosa com a sua saúde, atenta à imagem...- Sou. Quando comecei a fazer os Morangos com Açúcar, em apenas um mês engordei logo três ou quatro quilos, pois não fazia a melhor alimentação. A primeira coisa que fiz foi cortar nos almoços lá, e voltei a fazer exercício com alguma regularidade. Até porque a televisão faz as pessoas mais gordas e temos, por isso, que ter algum cuidado. - Não fez nenhuma dieta específica, mas acabou por emagrecer bastante...- O que acontece com as dietas, que eu já fiz, é que nos criam uma pressão enorme, porque temos que comer de duas em duas horas e cumprir muitas regras. Acho que uma pessoa tem de se sentir bem, e se lhe apetecer comer um chocolate, por que não? Não vou é comer um bolo a seguir. - Mas entretanto perdeu alguns quilos...- Sim, perdi cerca de sete quilos, mas foi muito gradual. Comecei a perder peso praticamente desde o início desta novela, que foi há nove meses. Fiz exercício todos os dias, falei com um nutricionista, que me explicou muita coisa que não sabia, enfim, sinto-me muito bem agora. "Perdi sete quilos, mas foi muito gradual. Fiz exercício todos os dias, falei com um nutricionista e passei a comer melhor." - Como têm corrido as gravações de Feitiço de Amor?- Muito bem. Estamos na fase final, que é a que nos custa mais, porque começam a pesar os vários meses de gravações. Para a minha personagem, esta fase é melhor, porque estou a trabalhar com a Maria João Luís, que é a minha actriz preferida em Portugal e que me tem ensinado muito. Foi o melhor presente que me deram neste projecto. - Na sua carreira tem feito vários papéis onde interpreta a má da fita...- Sim. O que peço é que o meu próximo papel seja diferente. Não me sinto mal neste papel, mas preferia que não se criasse um estereótipo. - Esta produção foi importante para a sua carreira?- Foi, mas acho que vamos sempre evoluindo. Queremos sempre fazer melhor, e este papel permitiu-me desenvolver as minhas capacidades. Tenho aprendido muito. Agora, se realmente evoluí, só as pessoas podem dizer. Tenho dias que me sinto mais confiante e outros em que simplesmente as coisas não saem. - As gravações da novela terminam em Fevereiro. Já sabe o que se segue?- Em princípio, deverei manter-me na televisão, já que há um projecto a ser pensado. Só espero poder fazer uma coisa diferente. E quero muito fazer teatro, é um sonho de miúda. Espero que aconteça este ano, apesar de sentir agora um medo ainda maior de o fazer.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras