Nas Bancas

Isabel Bastos: À descoberta do Natal

Redacção Caras
20 de dezembro de 2008, 00:00

Com ascendência espanhola, Isabel Bastos viveu em Portugal até aos 16 anos, idade com que se mudou para Madrid. Há quatro anos acabou por voltar, iniciando em Cascais aquela que define como "uma nova etapa da minha vida". Dos seus três filhos, apenas o mais novo, Santiago, de 12 anos, acompanhou a empresária neste regresso ao nosso país. Paula, de 20 anos, e Isabel, de 18, estão a estudar em Inglaterra. Depois de se ter instalado, Isabel decidiu cumprir um sonho que alimentava há já alguns anos e abriu no Monte Estoril o Espaço, "um pequeno spa com ioga, meditação, massagens e astrologia. Era um projecto antigo, uma vez que já pratico ioga há muitos anos e fiz diversos cursos de astrologia. Nesta nova etapa da minha vida surgiu a oportunidade e avancei", relata a empresária, que nos recebeu em sua casa, onde preparou uma sobremesa para o Natal, deliciosa e "apelativa também para os olhos". Não sendo uma receita tradicional desta quadra, o bolo de merengue com castanhas e chocolate acaba por se encaixar na perfeição na forma como Isabel e a sua família vivem a chamada época das festas, que só termina, em grande, no dia 6 de Janeiro: "Vamos sempre passar o Natal a Espanha, porque a minha mãe vive lá. Os meus filhos acabam por receber alguns presentes cá, da família, mas a grande festa é a 6 de Janeiro, Dia dos Reis Magos. E é só nesse dia que eu ofereço os presentes. Por isso, este é um bolo que tanto pode estar na mesa de Natal como na dos Reis", refere, aproveitando para recordar: "Foram os Reis Magos que ofereceram os presentes - mirra, incenso e ouro - ao Menino Jesus e não o Pai Natal." "O Natal é sinónimo de família e a época em que todos tentamos ser melhores seres humanos." Apesar de já ter regressado a Portugal há quatro anos, a verdade é que Isabel Bastos praticamente não desvirtuou as suas tradições familiares e garante que os filhos até agradecem a dupla celebração: "Para O Pai Natal é uma figura muito secundária para nós e, apesar de poder parecer confuso, isso nunca foi uma complicação para os meus filhos. A festa dos Reis Magos, essa sim, é a nossa grande festa." Apesar de todas estas explicações, em sua casa Isabel faz questão de decorar a árvore de Natal e de ter um presépio, em que os Reis Magos têm lugar de destaque. "Para mim, o Natal é sinónimo de reunião familiar. É aquela época especial em que todos tentam sentir e partilhar o espírito de Natal. Todos fazem um esforço para agradar ao próximo, para ser mais solidários, mais companheiros, mais pacientes e, em conclusão, é aquela altura em que todos tentamos ser melhores seres humanos." E foi com este espírito que Isabel pôs na mesa festiva um serviço que pertencia ao seu pai, que já morreu, evocando, assim, a sua memória e, no centro, arranjos com rosas, as suas flores preferidas: "Tenho sempre a casa cheia de rosas. É a minha flor e, por isso, tinha de estar nesta mesa tão especial. Escolhi esta cor por ser a que melhor se insere numa decoração de Natal", explicou, enquanto dava os últimos retoques na decoração.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras