Nas Bancas

Liliana Campos veste o papel de ninfa e fala das inspirações da sua vida

Redacção Caras
19 de novembro de 2008, 00:00

Liliana Campos é, aos 37 anos, considerada uma das mulheres mais sensuais de Portugal. Sem pudores, a apresentadora do Fama Show assume a sua beleza e até já apareceu na capa de uma revista masculina. Contudo, Liliana é muito mais do que uma cara bonita. Inteligente e ponderada, tem sabido construir uma carreira pautada pelo sucesso e reconhecimento do público. E não é só na vida profissional que a apresentadora se sente feliz. A viver uma relação estável com o gestor Ernesto Neves, mais conhecido por Kiki, Liliana quer preservar ao máximo este namoro. Contudo, fala sem rodeios dos seus dois maiores sonhos: casar-se e ser mãe.Foi durante uma produção na qual vestiu o papel de uma ninfa que o rosto do Fashion Advicer falou com a CARAS sobre a mulher que é hoje. "Sou católica e sempre achei que iria casar-me e ter filhos. E nunca deixei de acreditar nisso, é uma certeza que tenho." - Assumiu recentemente o namoro com Ernesto Neves...Liliana Campos - Eu nunca comentei o meu namoro. Nunca confirmei nada e também não vou falar sobre isso. - Mas está feliz?- Estou feliz, de bem com a vida e a passar por uma fase muito tranquila e serena, que me traz muita estabilidade. - Por que é que tem tanta reserva em falar sobre as suas relações?- Sempre preservei a minha vida privada, porque ao longo destes 15 anos vi pessoas que falaram sobre isso e abriram uma porta que nunca mais conseguiram fechar. Não tenho nada a esconder, mas acho que aquilo que interessa às pessoas que me vêem na televisão não é se tenho ou não namorado, e sim o que estou a fazer profissionalmente. Estou bem e feliz. Estou apaixonada, mas por tudo. Enfim... Há coisas muito minhas que quero preservar. - O facto do seu namorado não ser figura pública também pesou nessa decisão de não falar sobre isso?- Claro que uma decisão como esta nunca é tomada sozinha. Uma relação é sempre partilhada com duas pessoas, portanto, tudo é falado e decidido em conjunto. Quando as pessoas querem preservar a sua vida privada, conseguem, apesar de, às vezes, não ser fácil. - Como é que reagiu quando viu a capa de uma revista que revelava o seu namoro com o Ernesto?- Às vezes, as coisas estão muito no início e as pessoas ainda não sabem muito bem o que é que se pode esperar daquela relação. E, de repente, quando nos vimos expostos daquela maneira, ficámos um bocadinho assustados. Mas eu sabia que mais dia menos dia as pessoas iriam falar. "Já vivo sozinha há muitos anos e criei os meus horários e espaço... É tudo à minha maneira. (...) Mas sei que também vou gostar de viver acompanhada." - Já sente vontade de se casar?- Não, ainda não sinto essa vontade. Sou católica e sempre achei que iria casar-me e ter filhos. E nunca deixei de acreditar nisso, é uma certeza que tenho desde pequena. Mas neste momento ainda não penso nisso. Quando tiver de acontecer, acontece. - E quer seguir à risca a tradição?- Não me imagino a viver com alguém sem estar casada. Aquela coisa de assumir, irmos viver juntos e depois logo se vê se casamos ou não, não é o que quero. Claro que as coisas podem mudar. O que queremos é uma coisa e o que a vida nos leva a fazer é outra. Mas o que tenho na minha ideia é casar-me, ter filhos e viver feliz para sempre. - Acha que lhe vai custar abdicar da vida que tem para ser mãe?- Sei que não vou conseguir manter o ritmo de vida que tenho quando for mãe. Quando tiver filhos, quero ter tempo para acompanhar de perto o crescimento deles. Agora, nesta fase, sei que o que estou a fazer é o que realmente quero. - Gosta de viver sozinha?- Gosto. Já vivo sozinha há muitos anos e criei os meus horários e espaço... É tudo à minha maneira. E adoro estar sozinha em casa, enrolada na minha manta, a ver um filme e a comer. Mas sei que também vou gostar de viver acompanhada. "Gosto daquilo que vejo ao espelho e sou uma pessoa vaidosa." - Mudou recentemente de casa...- É verdade, e estou muito feliz com a minha nova casa. É na Margem Sul, mesmo ao pé do mar, e tenho uma vista fantástica. De manhã, adoro tomar o pequeno-almoço a ver aquele cenário. E gosto muito de pensar em cada pormenor da decoração. Agora ando a comprar imensas revistas para ver tendências. Vou decorá-la devagarinho e isso é que me dá imenso prazer. - Em Março faz um ano que participa no Fama Show. Como é que tem sido a experiência?- Tem sido uma aventura muito boa e vitoriosa. Desde que se estreou, é um programa que tem sido quase sempre líder de audiências naquele horário. E isso acaba por ser um grande desafio para todas nós, porque a dificuldade não está em chegar lá acima, mas sim conseguir manter essa posição. É um desafio diário para o qual trabalhamos todos. - Alguma vez a incomodou dizer-se que o programa é um formato que serve somente para mostrar meninas bonitas?- Nunca me incomodei com essas opiniões. Aliás, é uma das frases que oiço desde que comecei a trabalhar em televisão. A verdade é que a beleza importa e que é um programa feito por mulheres bonitas, que fala do lado belo da vida. Mas nunca nos esquecemos da realidade. Todas nós temos imagem, e por isso é que fomos escolhidas, mas temos igualmente personalidades e formas de estar na vida que se complementam. Somos todas diferentes, e isso é a mais-valia do programa. - É um programa à sua medida?- É um programa à nossa medida. Não foi um programa feito para uma só pessoa. E tenho imenso prazer em fazer este programa com a equipa fabulosa com que trabalho. - Se pudesse escolher fazer o programa dos seus sonhos, qual seria?- Nesta altura só queria fazer o Fama Show, que posso sempre complementar a minha participação com outras coisas que vão aparecendo, como o Fashion Advicer, que estou a fazer para a SIC Mulher. "Foi a partir dos 30 anos que começaram a acontecer coisas muito boas na minha vida, seja a nível profissional, pessoal ou familiar." - Mas também tem mais projectos fora da televisão...- Fui convidada por um amigo para entrar numa sociedade e abrir o Kontiki Gourmet, na Aroeira. Vou também lançar um site, que me vai servir como instrumento de trabalho junto das empresas com que colaboro e de outras com que posso a vir a colaborar. O resto das novidades fica para mais tarde, mas posso dizer que estou muito feliz e preenchida. - Tem 37 anos. Pensa muito no passar do tempo?- Não penso muito, porque acho que ainda vou a tempo de fazer tudo aquilo que quero. Estou a viver uma fase óptima e estou muito realizada. Aliás, foi a partir dos 30 anos que começaram a acontecer coisas muito boas na minha vida, seja a nível profissional, pessoal ou familiar. Portanto, o tempo não me assusta. E sinto-me bem comigo. Tenho feito muita coisa, não sinto que tenha perdido algo. - Como é que se imagina aos 40 anos?- Espero não estar muito diferente e quero continuar bem conservada. [risos] Daqui por três anos sei que vai haver alterações na minha vida. Aos 40, espero que haja boas evoluções e quero estar rodeada das pessoas que amo. Sou muito de afectos e tenho muita sorte em ter as pessoas que tenho ao pé de mim.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras