Nas Bancas

Espectáculo equestre atrai diversas personalidades

Redacção Caras
9 de outubro de 2008, 00:00

O ambiente é onírico e mágico e leva a plateia numa viagem fantástica em que animais e pessoas dão o exemplo de uma simbiose perfeita. Falamos do espectáculo Cavalia, que se estreou no Passeio Marítimo de Algés no passado dia 2. A CARAS acompanhou este primeiro dia, a concretização de um sonho de Normand Latourelle, um dos fundadores do Cirque du Soleil, que contou com a mestria e conhecimentos do casal Frédéric Pignon e Magali Delgado, artistas e co-directores equestres do espectáculo. No início, o ambiente era de expectativa, e no final das cerca de duas horas de magia, o adjectivo mais ouvido era "maravilhoso". Atarefado a receber convidados, entre eles Mercedes e Francisco Pinto Balsemão ou os duques de Bragança, Nuno Braamcamp, da R&B, produtora que trouxe a Portugal este Cavalia, dizia-nos, muito entusiasmado: "Este espectáculo é único e tenho a certeza de que toda a gente vai gostar. A venda de bilhetes tem corrido muito bem e por isso mesmo já temos uma terceira semana de espectáculos marcada." Uma informação preciosa para quem já pensava não conseguir bilhetes. Diana de Cadaval também esteve na estreia e logo à entrada disse-nos esperar um bom espectáculo e "uma noite bem passada". Habituada a lidar com o universo dos cavalos, "até porque pratiquei equitação durante muito tempo", Diana explicou ainda que a sua expectativa se centrava nos cavalos lusitanos "porque na Casa Cadaval também se criam lusitanos. É um trabalho desenvolvido pela minha prima Teresa", explicou ainda. E a referência à raça lusitana justificava-se pela presença de 18 garanhões lusitanos entre os 62 cavalos que protagonizam o espectáculo. Outra espectadora francamente interessada na proposta de Cavalia era Mathilde Stilwell, ela própria especialista em cross, obstáculos e dressage, afinal, um dos exercícios que os treinadores apresentam. "É fantástico. Eles não deixam de utilizar os métodos que nós utilizamos. No fundo, isto é aquilo que nós trabalhamos em prova, mas transformado em espectáculo. É maravilhoso", dizia a cavaleira no final da exibição, obviamente rendida. Entre os mais fascinados com o espectáculo estava a fadista e psicóloga Katia Guerreiro, que se confessou emocionada. "Depois disto, vale a pena repensarmos a nossa vida. Esta correria toda em que vivemos não vale a pena porque quando nos reencontramos com a paz interior, depois de ver esta maravilha, esta poesia, e a relação entre o homem e o cavalo, ficamos a pensar que nos devíamos tratar uns aos outros assim." Uma opinião que, podemos apostar, outros espectadores partilhariam.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras