Nas Bancas

Mafalda Arnauth: "Aos 33 anos sinto uma leveza que não sentia aos vinte"

Mafalda Arnauth: "Aos 33 anos sinto uma leveza que não sentia aos vinte"

Mafalda Arnauth: "Aos 33 anos sinto uma leveza que não sentia aos vinte"

Determinada, a fadista fala-nos do seu novo trabalho e também de uma luta que conseguiu vencer

Redacção Caras
23 de setembro de 2008, 00:00

A dedicação com que sempre en­carou a carreira permitiu-lhe alcançar um lugar de destaque entre os fadistas portugueses. Flor de Fado é o mais recente trabalho de Mafalda Arnauth, de 33 anos, e fala, sobretudo, de amor, mas num sentido mais lato do que o que se resume à relação amorosa. Sempre reservada, a fadista revela, nesta entrevista, como conseguiu ultrapassar problemas de peso e como se sente melhor na sua pele agora do que há dez anos. - Como define este Flor de Fado?- Flor de Fado é uma mensagem, uma ideia, mas, acima de tudo, uma vontade de querer cantar várias pessoas e identificar-me cada vez mais com elas. No fundo, cantar o ser vivo como ser emocional, que nos desperta aquele fascínio pelos outros. Acho que este disco é o celebrar de um momento de maior maturidade, e um encontro muito feliz de letras, arranjos e músicas. É também o culminar do meu lado de autora, de reunir talentos e de gostar muito de trabalhar com as pessoas que me rodeiam. Leia a entrevista na edição desta semana da CARAS

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras