Nas Bancas

Sofia Jardim e Domingos Amaral vivem momentos de verdadeira cumplicidade

Redacção Caras
14 de agosto de 2008, 00:00

Assim que se olha para Sofia Jardim, de 33 anos, e Domingos Amaral, de 40, filho de Diogo Freitas do Amaral, é perceptível o entendimento que têm. E assim que se conversa com os dois percebe-se que a maneira de estar e a forma como encaram a vida é a mesma e é também isso uma das razões por que se sentem bem na companhia um do outro. Foi durante uma tarde passada na praia do Nikki Beach de Vilamoura que a CARAS conversou com o casal e ficou a saber como tudo começou e como, a cada dia que passa, o director da GQ, jornalista e escritor, e a relações-públicas da Tempus se sentem mais próximos e felizes. - A Sofia é figura pública e nunca lhe conhecemos um namorado. O que mudou?Sofia Jardim - O Domingos gosta das mesmas coisas que eu, do mesmo estilo de vida, por isso é mais fácil fazermos programas a dois. Provavelmente foi isso que fez com que a nossa relação se tornasse pública. - Como se conheceram?- Em Setembro passado. Precisei de falar com o Domingos por questões de trabalho e a minha prima Pimpinha, que já era amiga dele, deu-me o número. Depois, numa festa, acabámos por falar um pouco mais e fomo-nos conhecendo aos poucos. Estamos a levar tudo com muita calma. "Achava que o Domingos seria uma pessoa muito cinzenta, depois percebi que tínhamos muito em comum." (Sofia) - Essa calma também tem que ver com o facto de quererem que tudo corra bem?- Se calhar é isso. Também estou mais velha e já passei por alguns desgostos e sei que as coisas têm de ser mais pensadas e não devem ser apressadas. - Vê-se que está numa fase muito boa...- Óptima, tanto a nível pessoal como profissional. Estou muito feliz. - A forma semelhante de encararem a vida foi uma mais-valia na vossa relação?- Sem dúvida. Tenho imenso orgulho no Domingos e adoro os livros que ele escreve. Achava que ele seria uma pessoa muito cinzenta e quando o conheci todo animado e bem-disposto percebi que tínhamos muito em comum. No fundo, ele veio completar-me, nunca tinha encontrado alguém que encaixasse tão bem no meu ideal de pessoa.Domingos Amaral - Desde que conheci a Sofia houve logo a sensação de que tínhamos muita coisa em comum, nomeadamente a de gostarmos muito de sair à noite, e isso é muito bom, pois é necessário haver pontos em comum com a outra pessoa. Entendemo-nos muito bem e nunca nada nos incomoda. - Presumo que os seus pais gostem do Domingos...Sofia - Os meus pais nunca se meteram nas minhas relações e respeitam sempre o que faço e quero. Mas o Domingos é uma pessoa de quem se gosta facilmente e que tem uma vida certinha. Qualquer pai gostava de ter esse namorado para a filha e os meus não são naturalmente excepção.Domingos - Não sou assim tão perfeito quanto isso, também tenho os meus defeitos, mas fico muito feliz com as palavras da Sofia. - Não fazem então planos futuros?Sofia - Não, vivemos o dia-a-dia e estamos muito bem assim.Domingos - Passei por um processo complicado de divórcio há um ano e tal e, por isso, agora é bom só namorar. É quase como que o regresso aos 20 anos, em que a pessoa sente que tem um amor e fica com um espírito mais leve e bem-disposto. E nós temos isso. - O Domingos já tem dois filhos, a Carolina e o Duarte, de dez e sete anos. Eles já conheceram a Sofia?- Já, mas é recente. Apesar de já estarmos juntos há algum tempo, acho que essas coisas têm de acontecer com naturalidade e sem pressa, até porque sou defensor de que as crianças precisam de algum tempo para se habituar às ideias. Convém que as coisas se expliquem com cuidado para as mudanças não serem demasiado abruptas e forçadas na cabeça delas. "Passei por um processo complicado de divórcio há um ano e tal e, por isso, agora é bom só namorar." (D.A.) - Como definiriam a vossa relação?- A Sofia é uma pessoa com quem sinto um bem-estar enorme e com o tempo o afecto tem aumentado, o que é muito importante. Tenho aprendido com a vida que há uma espécie de psicologia entre homem e mulher e há pessoas que encaixam ou não, felizmente, nós encaixamos muito bem. Para além de tudo o resto, compreendemo-nos e aceitamo-nos muito bem, sem grandes turbilhões, e somos muito tolerantes, o que na minha óptica é cada vez mais necessário entre duas pessoas.Sofia - Acima de tudo, é uma relação muito saudável e acho que isso diz tudo.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras