Nas Bancas

Joaquim Sousa Martins e Marta Wahnon: "Nunca nos desentendemos, e isso traz muita tranquilidade e segurança"

Redacção Caras
31 de julho de 2008, 00:00

Joaquim Sousa Martins, de 38 anos, e Marta Wahnon, de 33, viveram este ano o maior teste da sua relação, com a ida do editor de desporto da TVI para a Suíça durante dois meses, por ocasião do Euro. Apesar das saudades, o amor saiu reforçado e hoje em dia admitem que é difícil viverem um sem o outro.Estão muito apaixonados, mas não planeiam casar-se nem ter filhos, até porque Marta já tem uma menina, Benedita, de quatro anos, e sentem que a família assim está completa. O facto de continuarem com muito trabalho, até porque Marta vive uma nova experiência profissional, a de assessora de imprensa e relações-públicas do grupo Persona, suscita-lhes a necessidade de aproveitarem os fins-de-semana para estar juntos e namorar. Foi na praia do Nikki Beach, em Vilamoura, que a CARAS marcou encontro com o casal, que partilhou connosco algumas das emoções que tem vivido desde que se conheceram. - Foram difíceis os dois meses de separação?Joaquim - Foram, mas já sabemos que de vez em quando isso acontece.Marta - A única vez que nos tínhamos separado desde que estamos juntos foi na altura do Natal, e por uma noite, e agora custou muito. No início, até achava engraçado ver os directos dele e fazer quase o meu trabalho em sintonia com o do Joaquim, mas depois começou a custar-me. Ainda mais quando a Benedita me disse que estava na altura do "tio Joaquim" vir para casa. Aí, fiquei sem palavras. "A confiança que temos é tão grande, que não temos problemas. Estou cada vez mais feliz." (Joaquim) - Quando começaram a namorar, já tinham noção de que o vosso entendimento seria assim?Joaquim - De todo. Sabemos como as coisas são, até porque já tivemos outras relações, e é normal que haja desentendimentos entre o casal, mas com a Marta, até agora, estranhamente, isso não aconteceu. Nunca nos desentendemos, e isso traz tranquilidade e segurança ao nosso relacionamento. - Para isso também é importante que compreendam a profissão um do outro...- Claro que sim. A Marta tem sido exemplar na forma como eu vivo a profissão. Estou 100% disponível para a minha empresa e para a minha profissão e felizmente a Marta entendeu isso. - Essa compreensão não vos faz pensar em casamento, ou em ter filhos?Marta - Nós já estamos casados. Para nós, um papel não significa nada, o importante é o que vamos construindo juntos. O sentimento e respeito que temos um pelo outro não iria crescer com o casamento. O nosso objectivo era a harmonia entre os três, sermos uma família, e isso já acontece. Temos a Benedita, e para já é o suficiente. - Antes de iniciar o namoro com a Marta, o Joaquim era mais noctívago, e hoje em dia parece ter-se tornado mais caseiro. Foi a Marta que o mudou?Joaquim - Sem dúvida. Nunca tive complexos em assumir a vida que fazia. Gostava de me divertir com os amigos, não tinha compromissos com ninguém e, por isso, estava perfeitamente à vontade, até porque nunca faltei com as minhas obrigações profissionais. A Marta e o novo conceito de família que entrou na minha vida permitiu-me desfrutar ao máximo de outra rotina, que para mim nesta altura faz todo o sentido e faz de mim a pessoa mais feliz do mundo. A confiança que temos é tão grande que não temos problemas. Estou cada vez mais feliz. - A confiança é a base da vossa relação?- Tem de ser. Um pingo de desconfiança em qualquer relação é o princípio do fim. Se em nenhum momento a confiança for traída, as pessoas conseguem desfrutar da felicidade.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras