Nas Bancas

Moreira e Maria João divertem-se com a filha no mundo encantado da Disney

Redacção Caras
2 de julho de 2008, 00:00

Esta não foi a primeira vez que Moreira e a mulher, Maria João, foram ao Disneyland Resort Paris, mas foi certamente a mais emocionante, pois com eles levaram a filha, Beatriz, de três anos. E se já o guarda-redes, de 26 anos, e a mulher, de 28, tinham ficado deslumbrados com o universo mágico da Disney, Beatriz não lhes ficou atrás. Correu, brincou, pediu autógrafos às personagens favoritas, experimentou a maioria das atracções para a sua idade e foram muitas as vezes que os pais a apanharam com o brilho nos olhos de quem está a viver um sonho.

Um sonho que Moreira e Maria João fizeram questão de registar em fotografias para que um dia mais tarde Beatriz possa revivê-lo, já que, por ser muito pequena, na memória só algumas coisas ficarão marcadas. Dias depois do regresso a Portugal, a CARAS quis saber mais pormenores da viagem, e foi a Maria João que coube a palavra. Falar do universo mágico situado em Marne-La-Valée foi incontornável, mas a conversa acabou por tomar outro rumo e permitiu-nos descobrir mais detalhes da sua vida com Moreira, que Maria João trata por Filipe, segundo nome do guarda-redes do Benfica.

- Já tinham estado no Disneyland Resort Paris antes da Beatriz nascer. Desta vez, com ela, deve ter sido bastante diferente...

Maria João - Foi muito diferente. Na altura eu estava grávida e não usufruí do espaço, agora foi diferente. Foram as melhores férias que tivemos. A Disney é o mundo encantado dela. Para a Beatriz, tudo aquilo é real.

- Quais foram as reacções da Beatriz?

- No primeiro dia era tudo novo para ela e estava meio acanhada. Foi a adaptação ao ambiente, ao espaço. Depois, nos dias seguintes, já era a Beatriz que decidia onde queria ir, que atracções queria ver e passou mesmo a ser ela a guiar-nos dentro do parque.

- Tentam proporcionar-lhe programas para a idade dela?

- Sim, sempre. A nível familiar, fazemos muitos programas. Vamos muitas vezes ao Jardim Zoológico, ao Oceanário, ao cinema, e assistimos a muitos espectáculos. Ela gosta e pede para ver. Tentamos proporcionar-lhe uma grande diversidade de programas e actividades.

- E ainda vos sobra tempo para programas a dois?

- Actualmente são poucos, mas por opção. A Beatriz é a nossa princesa. É bem-comportada e gosta de nos acompanhar, e por isso tentamos usufruir de tudo a três.

- O facto de fazerem tudo a três e de estarem a deixar a relação a dois para segundo plano não a assusta?

- Sinceramente, não. Nós conseguimos ter tempo a dois, mas por opção, neste momento, incluímo-la nos nossos programas em família. É uma opção.

- Tal como foi uma opção abdicar da sua carreira, já que trabalhava numa empresa de organização de eventos, para ser dona de casa e mãe a tempo inteiro?

- Sim, abdicar da minha vida profissional a favor da família foi uma opção, ponderada por nós enquanto casal. Não quer dizer que se continuasse a trabalhar as coisas não resultassem, mas achei por bem dedicar-me a 100% à família e estar sempre disponível para a Beatriz. Eu trabalhava a tempo inteiro, não tinha horários fixos, por vezes tinha de trabalhar à noite, fins-de-semana e feriados, além de que viajava bastante, o que tornava difícil conciliar com os horários do Filipe e mais difícil ainda com uma bebé. Alguma coisa acabaria por ser negligenciada: a família ou o trabalho. Como sou perfeccionista no que faço, optei por me dedicar ao mais importante, que é a minha família.

- Ainda não se arrependeu?

- No início foi mais complicado, porque eu tinha uma vida muito activa. A mudança foi radical, mas se voltasse atrás faria exactamente a mesma coisa. Acho que a nossa relação enquanto família vale tudo.

- Acha que nos dias que correm, para um dos membros do casal ter sucesso profissional, o outro tem de abdicar da carreira?

- Acho que actualmente é possível ser-se bem-sucedido a todos os níveis, o que é preciso é algum esforço, disponibilidade e não descurar nem a vida amorosa, nem a familiar ou a profissional.

- E não ponderam ter outro filho em breve?

- Por enquanto, não. Neste momento queremos acompanhar a 100% esta fase de desenvolvimento da Beatriz. Talvez quando ela tiver cinco ou seis anos pensemos nisso. Neste momento, queremos focar as atenções para ela e dar-lhe todo o nosso amor. Somos pais babados e agarrados à Beatriz.

- Parece ter receio de não conseguir dar atenção a dois filhos ao mesmo tempo...

- É verdade. Há quem queira ter filhos com idades próximas para se despachar das fraldas e biberões. Eu e o Filipe preferimos dispensar as atenções todas à Beatriz. A atenção que se dá a um filho não é a mesma que se dá quando se tem mais filhos. Agora queremos gozar ao máximo a Beatriz, daqui a uns anos talvez voltemos às fraldas e biberões.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras