Nas Bancas

Homem que perseguia Uma Thurman condenado a três anos de liberdade condicional

Homem que perseguia Uma Thurman condenado a três anos de liberdade condicional

Homem que perseguia Uma Thurman condenado a três anos de liberdade condicional

A actriz receava pela vida dos filhos

Redacção Caras
3 de junho de 2008, 17:25

O juiz Gregory Carro condenou Jack Jordan a três anos de liberdade condicional por ter perseguido a actriz Uma Thurman. O homem que estava obcecado pela protagonista de Kill Bill e Pulp Fiction livrou-se de um ano de prisão efectiva, conforme pretendia a acusação, mas terá de cumprir três anos de liberdade condicional na sua terra natal, em Maryland, e terá ainda de receber tratamento psiquiátrico. O acusado fica também proibido de ter qualquer tipo de contacto com a actriz, que tem direito a cinco anos de protecção reforçada. Durante o julgamento ficou bem claro que se Jordan violar a sentença irá mesmo cumprir pena na prisão. A decisão judicial chega depois do réu se ter declarado culpado, embora tenha ameaçado suicidar-se se Thurman denunciasse o caso. Durante a leitura da sentença a actriz esteve acompanhada pelos seus pais e pelo seu irmão, que confirmaram a fixação de Jack Jordan pela filha e referiram que recebia várias mensagens e chamadas do acusado. Em tribunal Uma Thurman assegurou ao juiz temer pela vida dos seus filhos, Maya, de nove anos, e Levon de seis, devido às ameaças de que foi alvo.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras