Nas Bancas

José Pereira da Cruz lança livro inspirado no homicídio do filho

"Ganância é um dos pilares do livro, a par da futilidade e da crueldade com que alguém mata o pai do próprio filho." (José Pereira da Cruz)

Redacção Caras
21 de maio de 2008, 00:00

José Pereira da Cruz, sogro de Maria das Dores, pôs de lado as emoções e escreveu um livro baseado na terrível história do assassinato do seu filho, Paulo, a mando da mulher, a 20 de Janeiro de 2007. Em Ganância. A Essência de um Homicídio Perfeito, José Pereira da Cruz pretende "reflectir sobre o que este acto hediondo representa na sociedade actual" e explica que "ganância é um dos três pilares do livro, a par da futilidade e da crueldade com que alguém mata o pai do seu próprio filho, uma criança de sete anos, por dinheiro". Mesmo sem nunca usar os verdadeiros nomes dos envolvidos, - retratou-os como de personagens se tratasse -, este livro vem trazer a lume algumas histórias que ficaram por saber e esclarecer outras tantas, como as quatro tentativas de homicídio, os casos de estratagemas, mentiras, favores e falsificações protagonizados por Maria das Dores enquanto foi casada com Paulo Pereira da Cruz. Um dos episódios contados no livro é referente a uma viagem que o empresário fez ao estrangeiro acompanhado pelos sócios: "Ela ficou a magicar na maneira de o poder assustar ou, no mínimo, envenenar a sua estada no Brasil. O objectivo era fazê-lo compreender que tinha de viajar acompanhado pela mulher. (...) De conivência com uma amiga, fez uns arranhões em casa, rasgou algumas roupas e deitou-se na rua, simulando um atropelamento. Um transeunte caiu na esparrela e chamou o 112." Seguidamente, a mulher foi para o hospital e o marido foi contactado, adianta o autor. "O marido regressa e constata que, no cartão de crédito que tinha deixado no porta-luvas, existia uma dívida de milhares de euros. O acidente fora um álibi para o marido lhe perdoar mais um desvio da sua conta pessoal." Este livro faz parte de uma promessa que José Pereira da Cruz fez ao filho no dia do seu funeral, ao jurar dedicar a sua vida a lutar para que se fizesse justiça contra os responsáveis por este crime. Assim, misturando factos concretos e depoimentos reais, o autor conta detalhadamente, em 15 episódios, toda a história, desde o dia em que o casal se conheceu, passando pelo planeamento e execução do homicídio, até ao veredicto que condenou Maria das Dores a 23 anos de prisão e os dois cúmplices do crime, João Paulo e Paulo Horta, a 20 e 18 anos, respectivamente.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras