Nas Bancas

Mulher de Sílvio Berlusconi recusa o estatuto de primeira-dama

Mulher de Sílvio Berlusconi recusa o estatuto de primeira-dama

Mulher de Sílvio Berlusconi recusa o estatuto de primeira-dama

Verónica Lario pretende manter uma postura discreta durante o terceiro mandato do marido como primeiro-ministro italiano

Redacção Caras
28 de abril de 2008, 00:00

Directa e sem medo das palavras. Foi esta a atitude assumida por Verónica Lario, mulher de Sílvio Berlusconi, numa entrevista ao jornal La Stampa. Apesar do cargo do seu marido a obrigar à exposição pública, Lario afirma: "A mulher do primeiro-ministro deve manter-se na sombra. Para mim, as verdadeiras representantes do país são as mulheres que trabalham nos partidos". "Nunca fui primeira-dama e nunca o serei", adiantou ainda. Esta não é a primeira vez que Verónica Lario faz declarações polémicas e, há já alguns meses, recebeu muitas críticas quando expressou a sua opinião acerca do papel da mulher que, no seu entender, deve ser de total dedicação ao marido e à família. A esposa do primeiro-ministro italiano pretende preservar a sua vida e o seu casamento, evitando ao máximo que estes sejam expostos. "Itália não é como os Estados Unidos. Lá assistimos a escândalos como o do governador de Nova Iorque que foi à televisão acompanhado pela mulher para confessar o adultério, como se isso fosse garantia de arrependimento". Casos mais actuais como o casamento de Nicolas Sarkozy com Carla Bruni ou de Vladimir Putin com uma jovem ginasta também mereceram o comentário depreciativo de Lario. A esposa de Sílvio Berlusconi aproveitou, ainda, para lamentar que "a política tenha rompido com a ideia de tradicional de família".

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras