Nas Bancas

Decoração: Trabalhar dentro de casa

Cada vez mais transferimos para dentro de portas a nossa profissão, exigimos funcionalidade, mas não dispensamos o tão necessário conforto que só a nossa casa pode oferecer. Cada um ao seu estilo, inspire-se nestes seis espaços integrados em habitações e assinados por profissionais da decoração nacional.

Redação CARAS
28 de outubro de 2013, 15:06

Criar um escritório doméstico é cada vez mais uma necessidade e uma forma de responder às exigências da vida moderna. Trabalhar à distância no conforto do lar é para muitos um privilégio, mas a mudança de rumo nas nossas vidas requer respostas a algumas premissas para que seja alcançada a tão necessária produtividade.
Querem-se espaços que estimulem a criatividade, mas também a concentração. Em nossas casas é mais fácil dispersar-nos com as tarefas domésticas que estão sempre ali presentes e à distância de alguns passos.
Requer-se, por isso, ambientes equilibrados, trabalhar à distância, num espaço adequado e com boas condições, aumenta as hipóteses de sucesso. Segundo o Feng Shui, por exemplo, – filosofia chinesa milenar de harmonização entre o ser humano e o espaço que habita –, há orientações práticas que permitem construir ambientes de trabalho em nossas casas que promovam o bem-estar, mas igualmente estimulem a concentração e criatividade.
Regra nº1: nunca se sentar de costas para a porta, "isso faz com que a pessoa fique numa posição de vulnerabilidade, com coisas a acontecer sem que ela tome conhecimento, além disso, a visão limitada contribui para que a mente se feche", sublinha Silvana Occhialini, presidente do Instituto Brasileiro de Feng Shui e autora da obra "Feng Shui, o Poder de Atrair a Prosperidade" (edições Roca). É assim que alterar a posição de uma mesa é para esta especialista uma medida simples, mas de elevado impacto: "A pessoa passa a encarar a vida de frente e a ver melhor as possibilidades de futuro".
Regra nº2: deixar a natureza entrar, se a divisão não possui janela com vista,  pode combater-se a ausência através de quadros com horizonte, "ampliam as perspetivas..." Silvana sugere ainda o uso do amarelo, cor que estimula a atividade mental, "é a cor da atenção e da sabedoria", refere. Amarelo que pode ser aplicado numa das paredes, num revestimento ou, aqui e ali, em diversos objetos espalhados pela divisão.
Técnicas milenares à parte, é do senso comum que falta de organização, na maioria das situações, promove a instabilidade e dispersa a atenção, por isso, é indispensável aplicar conceitos de organização para deixar o ambiente esteticamente apelativo, mas também funcional. É fundamental, antes mesmo de escolher as peças que quer incluir no seu novo espaço, organizar prioridades e avaliar o fim a que se destina a divisão: vai ser de uso individual ou será partilhada pela família que tem várias profissões?, prefere áreas separadas, específicas, do tipo "meu e dele"?, tem muitos livros para guardar?, quer mostrá-los ou guardá-los?, gosta de expor, manter objetos ao alcance do olhar ou prefere resguardá-los?, tem muito espaço disponível?, e quanto aos materiais?, gosta da mistura e do contraste?, arrisca ou é mais comedido?. Eis um sem número de perguntas importantes de colocar, mas que profissionais experimentados podem dar resposta com clareza e sobretudo de acordo com a sua forma de viver a casa. Inspire-se com estes seis projetos assinados e cada um ao seu estilo.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras