Nas Bancas

Decoração: O meu jardim

Tem um espaço lá fora e não sabe o que fazer para o transformar num lugar cheio de vida? Teresa Chambel, arquiteta paisagista, diz-lhe por onde começar.

Teresa Chambel
24 de julho de 2012, 18:16

Avaliar o espaço
Antes de partir para algum tipo de intervenção no seu espaço exterior, deve tentar perceber as dimensões e condições da área, a exposição solar e os ventos são fatores essenciais.
Quando compramos móveis para a sala tiramos as medidas, para o jardim é igual! Por isso, devemos sempre ter o cuidado de o medir para avaliarmos o tamanho ideal das peças a selecionar. A exposição solar vai também influenciar de forma decisiva a escolha das plantas e a disposição do mobiliário. Achamos sempre que no exterior cabe tudo, mas não é bem verdade!
Proteger o terraço de ventos e garantir a necessária privacidade são outros pontos importantes. Os ventos são muitas vezes inimigos destes espaços exteriores, quando há vista geralmente há vento (os dois Vs muitas vezes andam juntos). Para criar algum conforto é preciso colocarmos barreiras quebra-vento, que também podem ser quebra-vista. As sebes, por vezes, não aguentam o vento e precisam de um suporte, uma estrutura que deve ser construída. Pode optar por vidro ou acrílico, ou por uma estrutura em madeira (figura 1), aço corten, ferro, etc., por onde crescem trepadeiras ou se encostam plantas para fazer uma sebe, se for necessário, prendem-se a essa estrutura.
Sol e sombra
Para termos algum conforto no exterior (principalmente se forem zonas muito expostas ao sol), deveremos criar estruturas de sombra. As árvores podem cumprir essa função de forma brilhante mas, às vezes, nas varandas e terraços não temos espaço para elas. As pérgulas de madeira, ferro ou alumínio podem ser excelentes soluções. Podemos optar por coberturas em tecido que correm ao longo de calhas e abrem e fecham consoante a necessidade (figura 2) ou podem ser cobertas com trepadeiras (figura 3), que poderão ser de folha caduca ou persistente conforme pretenda, por baixo da pérgula, ter sol ou não no inverno. Gosto especialmente de trepadeiras com flor, as minhas favoritas são as buganvílias (foto 1), as cor de rosa vivo são as mais resistentes. Também pode escolher glicínias de aroma inconfundível, roseiras, madressilva ou jasmim, todas elas resistentes e fáceis de cuidar.
Mobiliário e exterior
Na hora de escolher o mobiliário, há que ter em atenção as peças em aço ou alumínio, em zonas muito expostas ao solo, estas superfícies aquecem e no caso das floreiras 'assam' as plantas. A opção pela madeira, rattan sintético, ferro, lona, tem também a ver com o tipo de ambiente que quer criar: mais romântico, mais design, étnico, etc. Pense bem, opte por algo durável, pois o calor, o solo, o vento e a chuva degradam muito os materiais, certifique-se de que são peças apropriadas para o exterior, se não tiver local para os resguardar durante o inverno.
Plantas eleitas
Uma das maiores chaves no sucesso do seu jardim/terraço é a escolha da planta certa para o local certo. As plantas devem ser dispostas próximo das suas condições de desenvolvimento natural, se é uma planta que gosta de sombra, caso da hortense ou dos brincos de princesa (foto 2) não vale a pena ir contra a natureza, perdemos sempre!
Tenha em atenção que a exposição com sol pela manhã (nascente) é mais suave e permite-lhe a utilização de uma maior gama de plantas, a exposição poente, com sol à tarde, também tem variedade de plantas. A exposição a sul e norte é mais extrema. Para norte, plantas de sombra e para sul plantas muito adaptadas ao solo: alfazema, alecrim, malmequeres e grande parte das aromáticas e hortícolas. Se gostar de vasos ou floreiras, deve escolher plantas que não cresçam demasiado, conhecer as variedades é fundamental, informe-se sempre sobre o tamanho futuro da planta. E se quer um jardim florido todo o ano, sugiro plantas com florações distribuídas ao longo do ano.
Boas ideias
Muitas vezes quando o espaço não é suficiente para grandes árvores ou arbustos, a utilização de arbustos topiadas (podados de forma ornamental em bola, pirâmide ou coluna) pode ser uma boa e estética solução. Assim, conseguimos ter plantas com alguma dimensão, mas onde se pode controlar o tamanho impedindo que invada o espaço. As plantas mais adequadas a este tipo de jardim são o  buxo, a murta, loureiro e camélias. Com esta solução, o espaço fica arrumado e organizado. Quem gosta de espaços mais românticos, com inspirações provençais, estas são peças indispensáveis.
As árvores anãs (foto 4) também são uma excelente opção, temos a alegria de ter uma árvore sem nos ocupar muito espaço, opte pelo limoeiro (foto 3), oliveira, kumquat ou calamondin (citrinos anões da família das laranjeiras).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras