Nas Bancas

Decoração: Pequenos apartamentos em Lisboa

Dois apartamentos com a mesma área, 58m2, mas com diferentes tipologias, em Lisboa. Duas interpretações distintas em que funcionalidade e aproveitamento de espaço foram o principal foco.

Patrícia Rocha
6 de julho de 2012, 01:09

Inseridos num edifício antigo, na típica Alfama, em Lisboa, dois apartamentos, de tipologia T1, recuperados por Patrícia Navarro e Rita Copetto, da Engy. "Quando arrancámos com o projeto, tentámos respeitar ao máximo os elementos originalmente usados neste tipo de construção e que infelizmente já haviam sido eliminados", contam as profissionais, que assinam a recuperação dos espaços e a própria decoração: "Começámos pela reformulação do projeto de arquitetura de interiores. A disposição dos apartamentos era completamente diferente e achámos que não se adequava ao uso diário nem à dimensão das áreas disponíveis. Logo, reorganizámos toda a parte interior".
Os apartamentos, que contemplam quarto, casa de banho, sala e cozinha aberta, vocacionada para o convívio, apresentam um esquema de planta simples, com destaque para a transição natural entre um espaço e outro. "Não fazia sentido, sendo as áreas reduzidas, ter uma casa com uma cozinha fechada".
A dupla da Engy explorou as características de ambas as casas e adicionou aos espaços uma linguagem contemporânea, através de acabamentos comuns.
"Uma base neutra possibilita que qualquer decoração seja implementada. Achámos que o preto daria um contraste contemporâneo num ambiente antigo. Os elementos aplicados à cozinha e casa de banho não têm nada a ver com a época do edifício, são completamente modernos, mas resultam".
Em sintonia com a arquitetura dos interiores, a composição dos espaços ganha pela simplicidade, num equilíbrio bem conseguido entre peças essenciais, tons neutros e o novo soalho, em tábua corrida de riga maciça, com o poder de unificar os ambientes.
"A decoração de cada apartamento surgiu depois de definida a planta, os acabamentos e as cores". A escolha do tom lilás, utilizado no apartamento criado para uma jovem utilizadora, foi assumidamente estratégica: "Teve por objetivo disfarçar o pé-direito, que é muito baixo, e permitiu criar um ambiente mais leve, fluído e luminoso, além de muito romântico e cosy, com um toque feminino". Com carta-branca dada pela cliente, Patrícia e Rita Copetto optaram por tons neutros, suaves, e pela mistura de estilos, num encontro entre clássico e contemporâneo. Já no apartamento, nitidamente masculino, o castanho chocolate surge para atender ao pedido do proprietário, um jovem empresário que "viaja muito, quase não está em Lisboa": "O cliente queria tons de castanho chocolate, camel e beges, com os quais se identificava. O papel de parede, por exemplo, dá um ar mais quente, 'chic' e sofisticado. Nas almofadas, escolhemos sedas por ser um material mais nobre... A sala, sendo generosa para um T1, conseguiu receber peças maiores. O resultado é mais clássico, sóbrio e menos cosy".

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras