Nas Bancas

Decoração: Primeiro projecto feito a dois

David e Rita Abecasis decoraram sozinhos a sua primeira casa. O jovem casal de biólogos marinhos compensou com engenho e criatividade o orçamento reduzido. Em Lisboa, um projeto especial, com uma vista deslumbrante para o rio Tejo.

Joana Pinheiro
20 de abril de 2012, 00:37

São ambos biólogos marinhos mas nunca trabalharam juntos. Esta casa é o primeiro projeto conjunto de Rita e David Abecasis. Depois de sete anos a viver fora de Lisboa – primeiro na ilha do Faial, nos Açores, depois na ilha de Faro, no Algarve, por fim, em Perth, na costa oeste da Austrália – o jovem casal sentiu que era tempo de voltar e ter um espaço próprio.
Difícil seria manter a relação privilegiada com o mar e aquele estilo de vida tão particular. "Quando estávamos nos Açores, saíamos do trabalho e íamos para a praia, fazer mergulho, ver as baleias, andar de barco. Na ilha de Faro, vivíamos pertíssimo do mar, abríamos a porta da cozinha e estávamos literalmente no areal. O ano passado na Austrália foi perfeito para nós. Os australianos têm um lifestyle muito saudável, adoram a natureza e todo o tipo de atividades ao ar livre", conta a proprietária.
Depois de cinco meses de intensa procura, Rita e David Abecasis descobriram uma casa, em Algés, com uma vista deslumbrante para o Tejo. "Ficámos absolutamente encantados. Nunca pensámos que conseguiríamos encontrar e adquirir um apartamento com uma envolvente tão maravilhosa como esta. Visitámos várias habitações em que tínhamos de espreitar por uma janela ou pormo-nos em cima de um banquinho para vermos o rio", revela.
Quatro janelas abrem a sala de estar e a sala de jantar, concebidas em open space, ao exterior. "Funcionam como molduras que enquadram uma paisagem em constante mudança. Se vier cá amanhã vai ter um cenário diferente, o céu vai estar mais azul ou cinzento, o rio mais calmo ou agitado. O nascer e o pôr-do-sol são particularmente bonitos. Há barcos, de pescadores ou recreativos, a passar de um lado para o outro", descreve a proprietária. Quando se está no hall de entrada ou se percorre o corredor que liga a cozinha à área social, vê-se somente o rio no horizonte. É como se a estrada marginal e as linhas do comboio, que ligam Lisboa a Cascais, deixassem de existir.
No essencial, o estilo de vida do jovem casal manteve-se. David Abecasis gosta de correr no passeio ribeirinho, andar de bicicleta na marginal e nadar no mar ou nas piscinas do Jamor, consoante a estação do ano. Já Rita Abecasis prefere passear ou fazer caminhadas na praia.
Datado de finais do século XIX, o apartamento, com 130m, estava em avançado estado de degradação. "Nunca pensámos comprar uma casa que precisasse de obras, porque normalmente demoram muito tempo, dão imenso trabalho, implicam bastante dinheiro e os resultados nem sempre correspondem às expectativas. Mas decidimos que valia a pena arriscar. Conhecíamos o trabalho do arquiteto João Tiago Aguiar, confiávamos nele, e isso foi determinante para seguirmos em frente", explica o proprietário.
Um dos principais desafios enfrentados por João Tiago Aguiar foi converter dois quartos interiores, sem qualquer luz natural, situados no centro do apartamento, de planta quadrada, num escritório funcional e aprazível. A parede opaca foi substituída por uma série de pilares equidistantes, que, por um lado, permite que os proprietários usufruam da vista de rio quando estão a trabalhar, e, por outro, quebra o contacto visual com a sala de estar. "A par da área social, gostamos muito do escritório. Passamos lá muitas horas por dia, dado que trabalhamos em casa. É um local agradável", afirma David Abecasis.
Quanto à configuração dos espaços, permaneceram a cozinha e os dois quartos principais. Derrubou-se uma parede para conceder amplitude às áreas de estar e de jantar, criou-se um lavabo social, potenciou-se o espaço para
arrumação. Os móveis, de linhas retas, em MDF lacado branco, que se estendem a todo o pé-direi­to no hall de entrada, na cozinha e nos quartos, foram também desenhados pelo arquiteto. Preservaram-se os tectos, recuperaram-se os pavimentos, em madeira maciça de pinho, e as portadas, que foram pintadas a branco.
David e Rita Abecasis decoraram sozinhos a sua primeira casa. O simpático casal de biólogos marinhos compensou com engenho e criatividade o orçamento reduzido. "Reciclámos peças antigas e adaptámos peças novas ao nosso gosto, alterando as cores e os modelos. Do mobiliário à iluminação, passando pelos acessórios, todos os elementos têm muito de nós, alguns foram mes­mo feitos por nós, pelo que possuem um valor emocional. A mesa de jantar, por exemplo, foi executada à medida, mas fomos nós que a pintámos e aplicámos as tachas", nota a proprietária.
Mudaram-se há quase um ano, mas os dois quadros da sala de estar ainda estão por pendurar. "Há um terceiro quadro cuja moldura se partiu e estamos à espera de o receber. Além disso, como é a nossa primeira casa, estamos muito hesitantes em fazer buracos na parede", justifica Rita Abecasis. E conclui: "Já gostei mais de passar fins de semana fora, agora custa-me deixar as nossas coisas. Sinto a falta do conforto, do carácter único da nossa casa".

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras