Nas Bancas

Decoração: Personalidade Urbana em Lisboa

Uma moradia familiar com interiores amplos e luminosos, decorados na medida do conforto, respeitando a arquitetura, de linhas contemporâneas, e peças já existentes. Um projeto de Marta Carreira.

Patrícia Rocha
2 de abril de 2012, 13:10

Em Lisboa, uma moradia familiar, edificada num bairro da cidade que foi, na segunda metade do século XX, um excecional espaço de construção de obras marcantes da arquitetura portuguesa. A localização, privacidade e oferta de serviços ao redor seduziram o casal de proprietários. Se o projeto de arquitetura, de linhas contemporâneas, era perfeito, faltava a composição dos interiores, amplos e luminosos. A escolha recaiu sobre Marta Carreira, com ateliê próprio desde 2004.
 "Os clientes tinham muitas coisas deles, da casa antiga, que queriam aproveitar. Havia peças boas, antigas, e outras que, não sendo tão boas, não queriam desperdiçar ou deitar fora... Houve alguma preocupação em aproveitar aquilo que já tinham! Basicamente, o que tentei fazer foi transformar o que já existia e misturar elementos novos, criando uma harmonia".
A reciclagem e o reaproveitamento de móveis é uma das componentes presentes no trabalho de Marta Carreira: "Recuperei imensas peças, caso do louceiro, das cadeiras e da mesa de jantar que estão na cozinha; da consola preta que está no hall; mesa de jogo e cómodas antigas, assim como muitos dos candeeiros, aos quais apliquei abajures novos... Aproveitei imensa iluminação que já existia! No fundo, 40 por cento do projeto é feito de peças recuperadas", observa.
Elementos feitos à medida, tons claros, que oferecem um ar sofisticado, e iluminação suave foram outros truques usados nesta habitação, valorizando o espaço concebido para um casal com dois filhos pequenos e um jovem adulto, a estudar fora. "Desenhei sofás, cadeirões, a mesa da sala de jantar com consolas para aumentar os lugares à mesa, mobiliário dos quartos... tudo especificamente para cada espaço".
A decoração é pautada pelo conforto e pela praticidade, aliados ao cuidado em cada detalhe, desde a escolha das texturas aos acessórios. "Os proprietários acompanharam todo o processo ao milímetro", revela Marta Carreira. "Houve uma sintonia muito boa entre nós. Tive bastante liberdade para fazer o que os clientes queriam, tendo sempre em atenção o gosto deles e as peças que já tinham. Correu lindamente".
A profissional tirou partido dos pontos fortes do projeto, como a ampla zona de estar, ligada a outras áreas de convívio (sala de jantar, salão de jogos, com mesa de snooker, e home cinema), bem como ao jardim. Este tem abertura para as salas e para a cozinha, que causa impacto não só pelas dimensões generosas, como pelos acabamentos, design e tecnologia. O louceiro, na zona de refeições, realça o branco total de armários e ilha de trabalho, em laca de alto brilho.
Marta Carreira aplicou os mesmos princípios de composição das áreas sociais, situadas no piso térreo, às suítes da casa, no piso superior, com acesso pelo hall ao mesmo nível: "Apostei em cores claras e harmoniosas, pois asseguram o conforto, também em termos visuais".
A base dos ambientes de dormir é totalmente neutra, monocromática, de modo a perdurar por mais tempo. O branco faz-se presente nas paredes, remetendo à sensação de relaxamento necessária, e os apontamentos de cor ficaram a cargo das roupas de cama, entre outros têxteis (tapetes, estofos). "As cortinas na suíte do casal, sendo leves e translúcidas, convidam a luz natural a entrar e deixam ver o exterior".
No caso dos quartos infantis, o que os personaliza são os acessórios e objetos, que, no futuro, podem ser substituídos, acompanhando assim o crescimento dos utilizadores.
Terminamos com o espaço de eleição de Marta Carreira, aquele que, entre todos, lhe deu mais gozo a projetar: "É o quarto do jovem adulto, com a cabeceira e cama, em pinho nórdico maciço. Acolhedor, é também o ambiente mais simples, sendo usado apenas para dormir. Quis dar um ar minimalista, e nada foi esquecido, nem as caixas criadas estrategicamente na estrutura da cabeceira para esconder os fios elétricos".
Projeto de decoração concluído, a mudança dos moradores para a casa ocorreu por altura do Natal. "Os clientes veem sempre tudo, acompanham todo o processo, mas nunca conseguem visualizar tão bem como nós, profissionais, como é que tudo vai ficar no final. Mesmo nós, às vezes, temos dificuldade! Arriscamos e vemos se vai ficar bem. Neste caso, os clientes ficaram muito contentes e satisfeitos com o resultado! E isso é o mais importante", sublinha.
Marta Carreira garante que não alterava nada no projeto, e justifica: "Deixei espaço para os proprietários viverem a casa e sentirem o que falta, seja um quadro na parede, isto ou aquilo. Não temos de colocar tudo e impor coisas. O cliente tem de ter liberdade e ir acrescentando coisas à medida que vai usufruindo da casa, consoante a sua vivência". Traduzindo o estilo, "é uma casa contemporânea, sem elementos que cansam ou aquelas peças da moda, suscetíveis de mudar ao longo do tempo. São tudo opções que podemos ter e transformar, basta daqui a 10 anos mudar o acabamento. Tem elementos clássicos, mas no fundo é intemporal, embora esta palavra seja complicada, porque hoje em dia tudo muda a um ritmo alucinante...".

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras