Nas Bancas

Decoração: 'Design' iluminado

O caminho percorrido pela designer belga, especialista em iluminação, vai de um simples objeto até à instalação.

CARAS Decoração
24 de maio de 2015, 17:00

Nathalie Dewez formou-se, em 2001, em Arquitetura de Interiores pela La Cambre/École Nationale Supérieure des Arts Visuels, em Bruxelas. Em 2002, fundou o Nathalie Dewez Design Studio. Além da criação de candeeiros, objetos, móveis, instalações ou esculturas em grande escala, trabalha como consultora em iluminação para gabinetes de arquitetura, como 51N4E ou Archi2000, e colabora com várias marcas internacionais (Hermès, Habitat,  Ligne Roset, Established & Sons, Moome, entre outras). Em 2011, recebeu o prémio Design Pierre Bergé Foundation e foi nomeada Designer of the Year.
Porquê a área da iluminação?
No meu quinto e último ano de universidade, podia escolher um tema e decidi projetar um candeeiro. Foi o meu primeiro produto! A luz influencia as nossas vidas, o nosso estado de espírito, comportamento. Quando entramos num espaço comportamo-nos de maneira diferente se a luz estiver direcionada para nós ou, indireta, apontada para o tecto. Acho muito interessante a relação entre luz e espaço. Também gosto de trabalhar em diferentes escalas (produtos e projetos). E nesta equação incluo a própria luz (não sólida), bem como a estrutura que a emite (sólida).
Como define as suas criações?
Uma espécie de simplicidade. Tento que os produtos sejam claros. E que o processo de design tenha lógica. A função e a forma de um objeto têm que estar interligadas.
Tem preferência por materiais?
Prefiro trabalhar com materiais dura­douros, não sou fã de produtos de plástico. Gosto da força do metal, do vidro, mas também uso tecido em alguns projetos quando é preciso alguma transparência. E adoro a elegância de papel.
Dá valor ao artesanato?
O artesanato é muito importante. Devíamos insistir na promoção e utilização do artesanato, sobretudo o mais local. Há uma tendência para procurarmos produtos feitos "nós sabemos onde, como e por quem", mas é a luta do know-how contra as grandes indústrias.
Qual é a sua melhor peça?
Não tenho um projeto favorito. Cos­tumo dizer que é o último, até vir o próximo! Mas destaco o trabalho /instalação que fiz em 2011 para o museu MUDAM (Luxemburgo).
Que ícone do design gostaria de ter criado/assinado?
O candeeiro de pé Luminator, de (Achille & Pier Giacomo) Castiglioni, tão simples e tão eficiente.
Próximos projetos...
Este mês, em Milão, no bairro de Brera, participo numa exposição (organizada pela Belgium is Design) que reúne os trabalhos dos designers belgas vencedores do Designer of the Year nos últimos 10 anos (venci o prémio em 2011). Estou envolvida num grande projeto em França, em colaboração com o gabinete de arquitetura 51N4E, e trabalho há um par de anos com a marca Hermès Petit h, para a qual desen-volvi uma nova coleção de candeeiros de suspensão em cristal. Trata-se de uma série de peças únicas com lançamento previsto para breve!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras