Nas Bancas

Decoração: Leveza visual

As peças do designer francês traduzem a sua abordagem baseada na procura da simplicidade.

CARAS Decoração
15 de março de 2015, 16:00

Pierre Dubourg nasceu em Toulouse, em 1980. Formou-se em 2007 (mestrado em Design). Em 2008 integra o estúdio Ldesign / Arik Levy (Paris) como Project Manager. Em 2012 inicia um workshop com artesãos, envolvendo alunos de design de produto. Como designer independente, colabora com a editora Reine Mère e o estúdio de Samuel Accoceberry, entre outros, trabalhando paralelamente nos seus próprios projetos. É professor de design e membro do coletivo Fédération Française de Design (FFD), tendo exposto o seu trabalho no Carrousel du Louvre, durante a Paris Design Week (tanto em 2013 como em 2014).
O que o levou a escolher a área do design?
Adoro objetos e, admito, sou muito 'materialista'. Sinto-me atraído pelo aspeto técnico do produto, como é feito, e pelos materiais. É este o meu principal interesse no objeto e em design de um modo geral.
Tem algum mentor?
Não, tenho referências! Aprecio o trabalho de Stephan Diez e de Ronan e Erwan Bouroullec pelo seu processo criativo, expressão de simplicidade e proporções corretas. Isto sem contar com Dieter Rams!
Como define as suas criações?
Em processo. O meu design ainda não tem uma identidade forte. É longo o processo para a encontrar através da criação. Tento evoluir, caminhando entre identidade, proporções e simplicidade. Este é o caminho mais longo, o Graal (risos).
O artesanato tende a ser cada vez mais valorizado?
Sim. Como designer a minha experiência com artesãos é muito boa (caso da mesa Fondation criada em 2012). De uma forma geral, há uma enorme corrente em torno dos artesãos. O artesanato dá mais valor ao objeto, assim como mais flexibilidade, permitindo posicionar o design entre arte e indústria.
Qual é o seu melhor produto e maior hit?
Acho que não podemos falar sobre hit (risos). Talvez o projeto mais falado e divulgado seja a caixa Louisette, desenhada para a  Hartô.
Que produto da história do design gostaria de ter assinado?
O veleiro (Nautor) Swan 65 de 1977... Intemporal.
Quais são os seus espaços favoritos em casa?
A minha secretária. É onde passo grande parte do tempo, seja tocando, desenhando ou trabalhando ao computador. Tudo o que preciso é de uma mesa, caneta e tempo para pensar
(...sim, sou lento...).
Como imagina o interior de uma casa daqui a 100 anos?
Em 1950 pensámos que no ano 2000 os carros voariam... e não foi o caso! Não acredito que vá haver grandes diferenças... Ainda vamos encontrar uma cadeira Superleggera (ícone do italiano Gio Ponti para a Cassina) no interior de casas em 2115!
Mudava alguma coisa no panorama internacional do design?
Sim. Menos designers!
Próximos projetos...
Talvez (porque os tempos estão complicados!) uma caixa de joias, um espelho e uma mesa lateral.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras