Nas Bancas

Decoração: Molitor Paris

O espaço, reaberto em 2014, preserva a autenticidade e elementos icónicos como a piscina pública exterior.

CARAS Decoração
7 de fevereiro de 2015, 17:00

Inaugurado em 1929, o Molitor é uma refe­rência da capital francesa. Faz parte da memória afetiva de mais de uma geração de parisienses. Começou por ser uma piscina pública, estilo Art Deco, sobreviveu à Segunda Guerra Mundial e assistiu a eventos únicos e momentos irrepetíveis (como a apresentação mundial do biquíni, a maior invenção de Louis Reárd, o engenheiro de carros que viria a ser estilista). Fechou em 1989. Porém, mesmo durante a sua época de abandono, não deixou de ser procurado e frequentado. Foi invadido por graffiters e, em pouco tempo, tornou-se
um templo artístico. Em maio de 2014, o complexo – já classificado como monumento histórico – reabre as suas portas, após três anos de obras de reconstrução, transformado em hotel de luxo, clube e SPA. Com três andares, o empreendimento, projeto do grupo MGallery, marca uma nova fase na vida do local. A decoração, clean, com inspiração na década de 30 até ao presente, assinada pelo designer de interiores Jean-Philippe Nuel, manteve o estilo urbano. Os pisos inferiores apresentam os graffiti originais e espaços decorados por vários street artists, entre eles o português Vhils (Alexandre Farto). Além da piscina exterior aquecida, o Molitor Paris – MGallery Collection oferece 124 quartos, piscina de inverno, terraço com vista para a Torre Eiffel, dois restaurantes, bar, salas de eventos/reuniões e SPA de 1.700m2.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras