Nas Bancas

CARAS Decoração: Projeto de autor

Sedutora intimidade. Ana Antunes projetou um quarto inspirado no glamoroso mundo da moda, numa base clássica de rico estilo pombalino. Eis o making of.

Patrícia Rocha
16 de fevereiro de 2011, 12:39

Ana Antunes é uma mulher de emoções, gosta do que faz, de proporcionar através do seu trabalho sorrisos alheios. Desde sempre convive com cores, texturas e formas, em parte pela ligação a uma família dedicada às artes. Começou um percurso profissional como produtora de televisão e reconhece que "Querido, Mudei a Casa", em exibição na SIC Mulher há vários anos, é o melhor curso prático que alguma vez poderia ter frequentado. Foi com o formato que aprendeu a maximizar recursos e minimizar custos, o que a ajudou a seguir um caminho que desde tenra idade sabia estar-lhe destinado, entre as telas da mãe pintora e os vestidos glamorosos do tio costureiro.

O projeto que assina para a Caras Decoração re-
sume na essência um cruzamento de referências, inspirações colhidas de viagens, da pesquisa e estudo constantes, tudo bem equilibrado com inevitável sentimento: "quantas vezes estamos num restaurante e não nos sentimos bem. E quando tentamos perceber a razão, notamos que a luz é fria, o pavimento não é o mais indicado, as cores também... o lugar não nos transmite nada, falta o inesperado, a emoção", refere Ana.

Neste quarto, Ana Antunes pôs em prática um objetivo, conceber um espaço onde a sofisticação marca o estilo, uma homenagem ao mundo da moda (preto e branco, intemporal e recorrente), a ícones de elegância como Audrey Hepburn, ao perfume: "a cabeceira de cama foi inspirada na caixa do Chanel 5, era o perfume usado pela minha mãe e por algumas mulheres cuja elegância foram referência na minha adolescência. Lembro-me de lhe pedir, quando não tinha idade para usar perfume, para brincar com as caixas... guardei-as durante anos. Quando neste projeto houve necessidade de criar uma estrutura que escondesse o closet, mas respeitasse a estrutura do quarto, pensei num elemento vertical com alguma imponência, a caixa Chanel 5 em grande escala".

E os principais desafios que teve de enfrentar na decoração deste quarto? "Era imperativo respeitar a nobreza do pé-direito, a riqueza do tecto trabalhado, a cabeceira alta, sem ser uma nova parede, acabou por chamar a atenção para a estrutura, ao mesmo tempo serve de apoio a uma parte do roupeiro. Os cortinados brancos deixam entrar a luz que inunda o quarto, sem criarem filtros de cor", resume a decoradora.

Conforto, equilíbrio de peças, iluminação, são vetores pelos quais Ana se rege, por isso, espelhos, candeeiros, peças de família e objetos com brilho são elementos sempre presentes e este quarto é disso exemplo: "gosto de brincar com o que pode refletir, iluminar pormenores, contar histórias, dar aqui e ali um toque mais sofisticado". À intemporalidade latente do ambiente íntimo, a decoradora deixa a porta aberta à mudança: "apesar da predominância de brancos e tons neutros, pincelados com detalhes de cor, a qualquer alteração de humor, estação ou tendência, podemos trocar peças por outras até de menor investimento".

Em tempos de austeridade, e por se falar em economia, a pergunta impõe-se: uma casa elegante é um luxo acessível apenas a alguns? Ana discorda, aconselha a mistura de objetos baratos com outros mais dispendiosos e sublinha que com todas as opções disponíveis no mercado e ajuda especializada, decorar uma casa pode ser uma tarefa bem mais acessível.

Texto e vídeo: Teresa Mafalda; Produção: Ana Antunes, Rita Vilhena [mercado]; Fotografia: Giorgio Bordino, Alexandre Bordalo [mercado]

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras