Nas Bancas

Céline Dion regressa aos palcos após a morte do marido

A cantora emocionou-se várias vezes ao longo da noite.

CARAS
24 de fevereiro de 2016, 15:05

Céline Dion está de volta aos espetáculos. Cinco semanas após a morte do marido, René Angélil, após uma longa batalha contra o cancro, a cantora voltou a atuar em Las Vegas e não conseguiu esconder a emoção numa noite de homenagem ao empresário. Antes do início do concerto, foram exibidas algumas imagens de momentos a dois e a seguinte frase de Céline: “Eu sei que a minha carreira foi, de certa forma, a sua maior criação, a sua canção, a sua sinfonia. A ideia de vê-la inacabada magoá-lo-ia terrivelmente. Eu percebi que mesmo que ele nos deixasse eu teria de continuar sem ele, por ele”.
“Ao longo da minha vida só tive bons momentos com o meu marido, que se sentava aqui todas as noites. As pessoas pensavam que eu estava a olhar para ele, mas na realidade eu não precisava de fazer isso porque cada vez que eu fechava os olhos eu sentia a presença do René ao meu lado no palco, estivesse ele sentado mesmo ali, no balcão, nos bastidores ou em casa com as crianças. Ele sempre esteve no palco comigo. E nada mudará isso”, disse a cantora, fazendo um esforço para conter as lágrimas. E depois de uma pausa, acrescentou: “O René sempre me rodeou das melhores pessoas. Eu confiava tanto nele que nunca tive de preocupar-me com nada. Agora o meu instinto faz-me questionar tudo. Será que ele deixaria as crianças brincar com isto, será que esta canção é muito rápida ou muito lenta? Controlo-me para não falar demais. E é fantástico o facto dele estar ainda mais presente agora que já não está cá fisicamente. O René era o meu melhor crítico. Ele nunca me dizia o que eu queria ouvir, dizia-me o que eu precisava ouvir. Todas as noites quando regressávamos a casa após o espetáculo e ele estava muito calado, eu sabia que ele estava a tentar encontrar as palavras para dizer algo desagradável sem me magoar, mas eram coisas que ele tinha de dizer para o meu próprio bem. O René foi o único homem que eu conheci em toda a minha vida. Ele sempre me fez sentir como se tivéssemos a ter o nosso primeiro encontro, não acham isso fantástico? Éramos um só. E nada mudou, seremos sempre só um. Posso já não ouvir a sua voz, mas falo com ele. Penso nele a toda a hora. Eu sinto e sei que ele me ouve. De uma forma ou de outra, eu sei que ele me dará um sinal, que me dirá se aprova ou não. E agora ele está a dizer-me que tenho de parar de falar e começar a cantar. Obrigada por estarem aqui”.
Céline Dion e René Angélil conheceram-se quando a artista tinha apenas 13 anos e ele se tornou seu agente. A relação profissional transformou-se numa história de amor e, apesar de terem 26 anos a separá-los, casaram-se em dezembro de 1994. Cinco anos depois, o produtor foi diagnosticado com cancro da garganta pela primeira vez, mas a doença não abalou a relação. Em 2013, a família foi novamente confrontada com a doença e René foi operado para remover um tumor. O empresário morreu no passado dia 14 de janeiro.
Desta união nasceram três filhos: René-Charles, de 14 anos, e os gémeos Eddy e Nelson, de cinco.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.